O que o filósofo Peter Singer aprendeu em 45 anos defendendo os animais

Há quarenta e cinco anos, o filósofo australiano Peter Singer publicou o livro “Libertação Animal”. Os argumentos que apresentou – que os animais podem sofrer; que é moralmente errado infligir sofrimento extraordinário nos animais; e que, consequentemente, temos que repensar os nossos sistemas alimentares e da pecuária – são aqueles que muitos consumidores atuais já terão ouvido.
Agora, 45 anos depois, ele está revisitando o assunto em um novo livro…

Decolonialismo e Altruísmo Eficaz, uma reflexão por concessões

Colonialismo e a sua contraparte, o decolonialismo, tornaram-se termos em voga nas discussões públicas que envolvem questões sociais, econômicas e filosóficas atuais. O Altruísmo Eficaz, ainda que não faça parte dessa onda, está longe de passar incólume por ela. O movimento é alvo de críticas que vão desde ser epistemicamente arrogante até ser um perpetrador de uma estrutura colonialista. Essa postagem é uma primeira reflexão, pouco ambiciosa, que pode guiar uma interação mais produtiva entre duas abordagens tão diferentes.

500 milhões, mas nem mais um

Nunca saberemos os seus nomes.

A primeira vítima não poderia ter sido registada, pois não havia linguagem escrita para registá-la. Seriam a filha ou o filho de alguém e amigos de alguém, e seriam amados por aqueles que lhes estavam próximos. E estariam em sofrimento, cobertos de erupções cutâneas, confusos, com medo, sem saber por que lhes estava a acontecer aquilo, ou o que poderiam fazer sobre isso — vítimas de um deus louco e desumano. Não havia nada que se pudesse fazer — a humanidade não era suficiente forte, não estava suficiente ciente, não tinha conhecimento suficiente para lutar contra um monstro que não se podia ver.

Qual é o seu plano moral para 2021?

Muitas pessoas tomam resoluções de ano novo. As mais comuns, pelo menos nos Estados Unidos, são fazer mais exercício, comer de forma mais saudável, poupar dinheiro, perder peso ou reduzir o stresse. Algumas pessoas podem decidir ser melhores para uma pessoa em particular – não criticar o seu parceiro, visitar a sua avó idosa com mais frequência ou ser um amigo melhor de alguém próximo de si. No entanto, poucas pessoas – apenas 12%, de acordo com um estudo americano – decidem tornar-se uma pessoa melhor em geral, o que significa tornar-se melhor no sentido moral.