A poluição do ar é muito pior do que pensávamos

Dos anos 70 até ao início do século XXI, a luta contra os combustíveis fósseis foi uma luta contra a poluição, especialmente a poluição do ar.
Nas décadas seguintes, a atenção desviou-se para o aquecimento global e os combustíveis fósseis foram maioritariamente recontextualizados como um problema climático.
As provas são, neste momento, suficientemente claras para que se possa afirmar de forma inequívoca: Valeria a pena libertarmo-nos dos combustíveis fósseis mesmo que o aquecimento global não existisse.

Quão importante será o tipo de instituição de caridade que escolhemos?

Algumas instituições de caridade são mais eficazes do que outras.
Mas quão grandes serão essas diferenças de eficácia? Quanto mais eficazes serão as instituições de caridade mais eficazes em comparação com a instituição de caridade típica? O que você acha? As instituições de caridade mais eficazes serão talvez 10% mais eficazes do que a instituição de caridade típica? Ou 50% mais eficazes? Ou três vezes mais eficazes? Ou a diferença será ainda maior?

5000 pessoas comprometeram-se a dar pelo menos 10% do seu rendimento vitalício a instituições de caridade eficazes

Hoje alcançamos um marco importante. Mais de 5000 pessoas comprometeram-se a doar pelo menos dez por cento dos seus ganhos vitalícios a instituições de caridade eficazes.
Desde a sua fundação, em Dezembro de 2009, A Giving What We Can atraiu membros de 87 países. Juntos, doamos pelo menos 195 milhões de dólares para instituições de caridade altamente eficazes em muitas áreas de causas diferentes. Esse dinheiro tem um impacto tangível na vida de muitas pessoas neste momento e ajudará muitas outras no futuro.

Estamos a fazer o suficiente para impedir a extinção humana?

A probabilidade de a humanidade se extinguir num futuro próximo é baixa — mas não é nula. E, a menos que nos preparemos de imediato, podemos acabar por fazer com que uma catástrofe à qual conseguiríamos sobreviver se torne numa que garanta a desgraça para todos nós.
Esse é o argumento principal de End Times: A Brief Guide to the End of the World [Fim dos tempos: um breve guia para o fim do mundo], um novo livro de Bryan Walsh, detalhado, aterrorizador, mas, em última análise, esperançoso.