Ajudar como uma obrigação e/ou como uma oportunidade? (2 de 3)

No altruísmo eficaz há uma certa questão em aberto se o altruísmo deve ser visto como uma obrigação ou uma oportunidade. Na primeira postagem discutimos alguns conceitos centrais à noção de obrigação e começamos a pensá-los a partir da posição do altruísmo eficaz. Agora é a vez de fazer o mesmo para a oportunidade. A terceira etapa será uma conclusão a partir das lições extraídas da reflexão anterior.

Anúncios

Ide e fazei o maior bem

“E ide deste lugar com corações gratos, pagando as dádivas que aqui receberam usando as vossas mentes, vozes e mãos para fortalecer as vossas novas comunidades e o vosso mundo”. Estas foram as palavras que o presidente da Universidade de Yale, Peter Salovey, escolheu cuidadosamente para concluir o seu discurso da cerimônia de graduação de 2017.

Empatia Radical

Um tema do nosso trabalho é tentar ajudar as populações que muitos acham que não merecem ajuda sequer. Vimos grandes oportunidades de melhorar o bem-estar de animais da pecuária industrial, porque pouquíssimos outros estão tentando fazê-lo. Ao trabalhar em reforma da imigração, vimos grandes debates sobre como a imigração afeta os salários das pessoas já residentes nos EUA e muito menos discussão de como isso afeta os imigrantes. Até nosso interesse em saúde e desenvolvimento global é bastante incomum: muitos americanos podem concordar que os dólares doados fazem mais no exterior, mas preferem doar internamente, porque priorizam fortemente as pessoas do seu próprio país, comparadas às pessoas do resto do mundo.

A importância do futuro distante

Ainda que sejamos instintivamente compelidos a ajudar aqueles cujo sofrimento conseguimos ver imediatamente ou que visualizamos claramente, a desconsideração por indivíduos que ainda não nasceram, mas que nossas ações ainda assim irão afetar, parece ser tão equivocada quanto a desconsideração por indivíduos que vivem distantes de nós. Todos aqueles que estão ao nosso alcance merecem nossa consideração, independentemente de estarem ou não vivos ao mesmo tempo que nós.