O observador passivo

Alerta de Conteúdo: violência adolescente, malária, morte, escrupulosidade

Ficamos a aguardar, trinta ou quarenta de nós, e observamos silenciosamente enquanto dois garotos, um muito maior e mais velho que o outro, lutavam. Não foi uma grande briga, mesmo pelos padrões daquele nível escolar. O garoto maior esmurrou o garoto menor, o que pareceu durar alguns minutos, mas provavelmente foram apenas alguns segundos. O garoto menor caiu.

Peter Singer: as melhores instituições de caridade (2017/2018)

Nesta época de doação, estamos entusiasmados por anunciar a nossa nova lista das melhores instituições de caridade no combate à pobreza global. Estas 20 organizações sem fins lucrativos realizam um trabalho inovador e custo-eficaz para levar serviços médicos, nutrientes vitais e oportunidades económicas a muitos dos 767 milhões de pessoas que vivem hoje na pobreza extrema. Usam intervenções suportadas por evidências para dar uma nova esperança aos homens, mulheres e crianças mais necessitados do mundo.

Por que a maioria das pessoas não se importa com o sofrimento dos animais selvagens

Várias intuições, tais como o viés do status quo, a “crença no mundo justo” e a ausência de dano intencional, impedem que as pessoas encarem o sofrimento dos animais selvagens do modo sério como esse assunto deveria ser tratado. Felizmente, os movimentos mais progressistas têm conseguido superar preconceitos arraigados, restando, portanto, esperança para o movimento em favor da redução do sofrimento dos animais selvagens.

Ajudar como uma obrigação e/ou como uma oportunidade? (2 de 3)

No altruísmo eficaz há uma certa questão em aberto se o altruísmo deve ser visto como uma obrigação ou uma oportunidade. Na primeira postagem discutimos alguns conceitos centrais à noção de obrigação e começamos a pensá-los a partir da posição do altruísmo eficaz. Agora é a vez de fazer o mesmo para a oportunidade. A terceira etapa será uma conclusão a partir das lições extraídas da reflexão anterior.

Ide e fazei o maior bem

“E ide deste lugar com corações gratos, pagando as dádivas que aqui receberam usando as vossas mentes, vozes e mãos para fortalecer as vossas novas comunidades e o vosso mundo”. Estas foram as palavras que o presidente da Universidade de Yale, Peter Salovey, escolheu cuidadosamente para concluir o seu discurso da cerimônia de graduação de 2017.