Como levar os ricos a fazer doações

As pessoas ricas são idiotas egoístas. E os seus filhos também.

Pelo menos essa é a implicação de uma série de estudos psicológicos recentes. Em um estudo de 2015, por exemplo, crianças em idade pré-escolar foram informadas de que haviam ganhado fichas suficientes para obter “um prêmio magnífico”. Podiam guardar as fichas para si ou compartilhar as fichas com crianças de um hospital local que estavam demasiado doentes para ir ao laboratório. As crianças de famílias mais ricas ficaram com mais fichas para si…
Por que será assim?

Os meninos na gruta

A imensa manifestação de preocupação e compaixão demonstrada pela comunidade mundial durante a provação de 18 dias dos 12 meninos e do seu treinador de futebol presos numa caverna inundada na Tailândia foi emocionante e gratificante. Os recursos financeiros utilizados no resgate também foram significativos.

Em simultâneo com essa generosidade pessoal e institucional, porém, está a nossa falha colectiva em salvar aproximadamente 7 500 crianças menores de cinco anos que morrem todos os dias de doenças evitáveis ​​ou tratáveis.

Para que um movimento cresça saudável, escolha os frutos mais fáceis de colher

Todos já conhecemos pessoas que nunca estarão abertas às ideias do altruísmo eficaz (AE), não importa como sejam contextualizadas: o seu vizinho que pensa que fazer o bem é puramente uma questão de preferência pessoal, ou o seu tio que argumenta que é errado comparar instituições de caridade porque todas estão a fazer o bem. Apesar de horas a discutir, não é feito nenhum progresso real. Todos também tivemos a experiência oposta: uma pessoa amiga que concorda no primeiro minuto da conversa… Se soubéssemos quem são essas pessoas, poderíamos fazer crescer o movimento de maneira muito mais rápida e sustentável.

Anunciamos o PriorityWiki: um Wiki de Priorização de Causas

Localizar e manter-se actualizado relativamente a toda a informação de todas as causas que merecem atenção é um trabalho que consome tempo, e pensamos que é uma tarefa que provavelmente será duplicada muitas vezes por indivíduos e organizações. Ao decidir em que intervenções gastar o seu tempo ou dinheiro, é muito útil saber que trabalho já foi feito nessa área.
É por isso que criamos o PriorityWiki, um wiki de priorização de causas que qualquer um pode editar, que categoriza intervenções específicas dentro de causas mais amplas.

Uma Carteira de Doação

Investir na bolsa de valores é uma atividade que também lida com alto grau de incerteza. Em vista desse risco, o que os investidores individuais fazem é construir uma carteira de investimentos variada. Assim, eles podem contemplar investimentos mais arriscados nos quais os riscos são maiores mas os lucros, caso ocorram, também, mas sem perder a segurança mais garantida de investimentos mais conservadores, ainda que com ganhos menores. Entre esses dois extremos, é claro, existe uma gama variada de situações intermédias. De qualquer forma, é a partir dessa postura que, na sequência, será construída uma carteira variada de doações.

Como fazer o maior bem possível

Imagine que está a andar num parque e se depara com um menino a afogar-se num lago. Provavelmente não hesitaria em saltar para salvá-lo, mesmo que isso significasse estragar um par de sapatos caros. No entanto, caso leia uma reportagem sobre milhares de crianças a afogar-se devido a uma inundação num país distante, pode não se sentir obrigado a agir. O que poderia explicar esta falha de empatia aparentemente incongruente?

Perguntas frequentes sobre riscos de sofrimento astronômico futuro (riscos-s)

O que são os riscos-s?

No ensaio Reduzir os Riscos de Sofrimento Astronômico: Uma Prioridade Negligenciada, os riscos-s (também chamados de riscos de sofrimento ou riscos de sofrimento astronômico) são definidos como “eventos que provocariam sofrimento em escala astronômica, excedendo vastamente todo o sofrimento que existiu na Terra até agora”.