Alegremente

Pedras simbolizando o amor em família | Pixabay.com

Pedras simbolizando o amor em família | Pixabay.com

Quando eu era jovem, fiquei extremamente impressionada quando percebi que minha escolha de fazer ou não uma doação podia ser a diferença entre a vida e a morte de outra pessoa.Muitas das minhas escolhas começaram a parecer obviamente erradas. Lembro-me de dizer ao meu pai que eu tinha decidido que era imoral para mim ter filhos, porque isso desviaria muito do muito do meu tempo e dinheiro de causas mais nobres.

“Isso não soa como um estilo de vida que vai fazer você feliz”, dizia ele.

“Minha felicidade não é o ponto,” eu respondia.

Alguns anos depois me arrependi amargamente de minha decisão. No fundo eu sempre quis e me destinei a maternidade e me sentia frustrada. Isso estava me deixando doente e miserável. Eu olhava para todo o resto da minha vida mais como uma obrigação do que uma alegria.

Então, meu marido e eu decidimos que não valia a pena ter um colapso. Decidimos separar o necessário de nossos gastos pessoais para termos razoavelmente alguns recursos para educar uma criança. Olhando para trás, os registros nos meu diário antes e depois da decisão, fico impressionada com quanta diferença isso fez na minha forma de ver o mundo.

Imediatamente depois de recebermos a permissão de sermos pais eu me tornei animada sobre o futuro novamente. Eu não sei ainda se ou quando nós vamos realmente ter um filho, mas só a possibilidade já me ajudou a sentir que as coisas ficariam bem. E eu suspeito que o sentimento de satisfação com a minha própria vida me permite hoje ser bem mais útil para o mundo do que eu seria como um altruísta frustrada.

Eu tenho frequentado reuniões Quaker (N.T Uma Denominação Cristã) nos últimos dez anos. Seu fundador, George Fox, deu a seus seguidores este conselho em 1658:

“Estabeleçam padrões, sejam exemplos em todos os países, lugares, ilhas, nações onde quer que estejam; que sua carroça e estilo de vida possam circular entre todos os tipos de pessoas, e para eles; então você caminhará alegremente por todo o mundo, respondendo ao Deus dentro deles; e que neles você possa ser uma bênção. ”

Quakers tendem a enfatizar a parte sobre “Ao Deus em todos”, com suas implicações sobre a igualdade: mas como eles pode ter escravos, por exemplo, se o escravo tem um elemento nele? Minha parte favorita é a palavra “Alegremente”. Fox era um homem que havia sido preso e espancado por suas crenças religiosas – com certeza ele tinha o direito de ser amargo. O Quakerism mais tarde desenvolveu um estilo severo e sisudo, mas George Fox não era assim.

Algumas coisas eu posso fazer alegremente. Acontece que desistir de ter filhos não era um delas. Outras pessoas não teriam nenhum problema e abdicar da paternidade, mas eu suspeito que todo mundo tem algo que poderia causar uma enorme quantidade de dor ao ser sacrificado.

Assim, teste seus limites, conheça as mudanças que você pode fazer para ajudar os outros sem lhe custar muito caro. Mas quando você achar que algo está fazendo de você uma pessoa amarga, pare. Altruísmo eficaz não é sobre dirigir-se ao colapso. Nós não precisamos de pessoas que fazem sacrifícios que as deixem drenadas e miseráveis. Precisamos de pessoas que possam caminhar alegremente por todo o mundo, ou pelo menos ser tão extraordinárias quanto possam ser.

Postado originalmente por Julia_Wise em 21 de junho de 2013 04:00
http://www.effective-altruism.com/ea/4r/cheerfully/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s