Parabéns a Esther Duflo, Michael Kremer e Abhijit Banerjee pelo Prêmio Nobel

A Evidence Action felicita calorosamente Michael Kremer, Esther Duflo e Abhijit Banerjee por terem recebido recentemente o Prêmio Nobel de Ciências Econômicas. A nossa organização muito lhes deve pela sua pesquisa inovadora e o seu compromisso para compreender, com clareza científica, o que funciona (e não funciona) para melhorar a vida das pessoas mais pobres em todo o mundo.

Três maneiras de atingir seus objetivos de doação

“Não sou muito bom a planejar orçamentos na minha vida pessoal […] Este ano, isso me incomodou especialmente, e parece-me que não vou conseguir atingir o meu compromisso anual.”

Isso lhe parece familiar? À medida que o final do ano se aproxima, muitos de nós nos lembramos das metas e planos que estabelecemos em janeiro e balançamos a nossa cabeça desapontados. Mas não precisa ser assim.

Doar agora ou doar depois?

Às vezes, as pessoas perguntam [à GiveWell] se devem doar agora ou economizar o seu dinheiro e doar (incluindo os juros/retornos acumulados do seu dinheiro) posteriormente. Não nos parece que exista uma resposta clara. Aqui estão as principais questões conforme as vejo quando penso em minhas próprias doações. Conclusão – a minha estratégia preferida no momento é doar regularmente (uma porcentagem fixa do meu rendimento a cada ano).

A política de mudanças climáticas com o maior potencial é a mais negligenciada

A extrema urgência da crise climática e a escala da tarefa a ser realizada revelam a resposta óbvia: precisamos tanto de implementação como de inovação.
Tenho pensado nisso devido a um novo relatório emitido por um grupo chamado Let’s Fund, que aplica os princípios do “altruísmo eficaz” a direcionar o dinheiro de doadores para boas causas.

Escolher Doar

Para muitos possíveis altruístas, a decisão mais difícil é a de escolher doar sequer.

Os números me transformaram em uma altruísta. Quando descobri que poderia, em vez de gastar minha exorbitante mensalidade da academia de ginástica (eu nem quero dizer quanto custava) para em vez disso curar a cegueira de pessoas, o único pensamento que tive foi: “Por que não fiz isso o tempo todo?” Essa pergunta mudou minha vida para sempre.

Quantas vidas é que vale Notre Dame?

Pouco mais de 24 horas após o incêndio que danificou seriamente a Notre-Dame de Paris, as doações para a reconstrução da catedral de 850 anos ultrapassaram 1 bilhão de euros (1,1 bilhão de dólares) [Pt. mil milhões de euros]. A maior parte deste dinheiro vem de algumas das pessoas mais ricas da França. […] o custo da reconstrução deve ficar entre 300 e 600 milhões de euros, muito menos do que o valor angariado.
Os manifestantes gilets jaunes (coletes amarelos) já levantaram a questão óbvia: “E os pobres?”