Altruísmo entusiasmado

Os críticos do altruísmo eficaz preocupam-se que estejamos a tentar escolher causas com base em cálculos sobre como ajudar o mundo tanto quanto possível, em vez de nos basearmos nas causas que nos entusiasmam. Preocupam-se que não estejamos, portanto, totalmente envolvidos ou comprometidos com as causas que escolhemos.
Penso que, essencialmente, essas pessoas entendem mal o altruísmo eficaz.

O Sofrimento nos Animais vs. Humanos

Há um amplo consenso de que pelo menos os animais mais desenvolvidos podem ter consciência do seu sofrimento. Mesmo que tivéssemos dúvidas sobre este fato, isso não afetaria muito os nossos cálculos do valor esperado, pois os animais são bem mais numerosos do que os seres humanos. Às vezes se afirma que os seres humanos sofrem mais intensamente do que os animais por terem experiências emocionais mais profundas, mas penso que a própria dor em bruto representa uma fração não trivial da severidade total do sofrimento e, mesmo se contássemos menos a dos animais, mais uma vez isso não afetaria muito os cálculos (devido à sua quantidade).

Argumentos Contra o Especismo

Pense em qualquer caraterística “humana”. Na maioria dos casos, se não em todos, há seres humanos que não possuem essa caraterística – e animais não humanos que a exibem. Então, como podemos justificar a desconsideração dos interesses ou do sofrimento dos animais não-humanos? Como podemos justificar nosso incessante abuso de animais não humanos para fins lucrativos?

O Precipício: Introdução e Capítulo I

Este livro argumenta que salvaguardar o futuro da humanidade é o derradeiro desafio do nosso tempo. Pois encontramo-nos num momento crucial da história da nossa espécie. Alimentado pelo progresso tecnológico, o nosso poder cresceu tanto que, pela primeira vez na longa história da humanidade, temos a capacidade de nos destruirmos a nós mesmos — amputando todo o nosso futuro e tudo aquilo em que nos poderíamos tornar.