O Precipício: Introdução e Capítulo I

Este livro argumenta que salvaguardar o futuro da humanidade é o derradeiro desafio do nosso tempo. Pois encontramo-nos num momento crucial da história da nossa espécie. Alimentado pelo progresso tecnológico, o nosso poder cresceu tanto que, pela primeira vez na longa história da humanidade, temos a capacidade de nos destruirmos a nós mesmos — amputando todo o nosso futuro e tudo aquilo em que nos poderíamos tornar.

Os nossos critérios para as instituições de caridade principais

A GiveWell tenta ajudar os doadores a fazer o maior bem possível com cada dólar que estes doam. O nosso objectivo é encontrar excelentes oportunidades de doação e publicar os detalhes completos da nossa análise para ajudar os doadores a decidir para onde doar. Não pretendemos classificar todas as instituições de caridade, mas sim encontrar aquelas que consideramos que maximizam o impacto de doações adicionais em termos de vidas salvas ou melhoradas.

Será que os animais, as plantas e os robôs devem ter os mesmos direitos que você?

Todos que estão lendo esta frase provavelmente (esperemos!) concordam que as mulheres merecem os mesmos direitos que os homens. Mas há apenas um par de séculos, essa ideia teria sido descartada como absurda. O mesmo vale para a crença de que as pessoas negras deveriam ter os mesmos direitos que as brancas. Há um conceito da filosofia que descreve esta evolução – é chamado de o círculo moral em expansão da humanidade. Ao longo dos séculos, ele se expandiu. A escravidão foi abolida. As mulheres conseguiram o voto. O casamento entre pessoas do mesmo sexo foi legalizado. Como se decide se uma entidade merece ter direitos?

A falta de controvérsia sobre uma ajuda bem orientada

Há uma série de debates públicos de grande visibilidade sobre o valor da ajuda externa […] geralmente têm pessoas inteligentes e argumentos de ambos os lados, e a pergunta “A ajuda funciona?” é complexa e não tem uma resposta simples.

No entanto, acreditamos que estes debates são por vezes mal interpretados, causando confusão e preocupação desnecessárias.

Estamos em triagem a cada segundo de cada dia

Gostei bastante do episódio “Fazer o papel de Deus” do RadioLab.

O tema é a triagem, a prática de atribuir prioridade a diferentes pacientes na medicina de emergência. Por extensão, a triagem significa racionar recursos escassos. O episódio trata a triagem como um fenómeno raro – de facto, sugere que os protocolos de triagem médica só foram levados muito a sério nos EUA depois do Furacão Katrina – mas a triagem não é de todo um fenómeno raro. Estamos a fazer triagem em cada decisão que tomamos.