Biologia do bem-estar

A biologia do bem-estar é uma proposta de um campo de pesquisa dedicado ao estudo do bem-estar dos animais em geral e centrado especialmente em animais em seus ecossistemas naturais. O campo da biologia do bem-estar iria informar as medidas destinadas a ajudar os animais e as políticas de gestão ambiental, e proporcionar a esta causa a atenção e o reconhecimento que necessita.

O problema da substituição por animais pequenos

O problema da substituição por animais pequenos é a preocupação de que certas mudanças na dieta que visam causar menos danos ao mundo possam, de fato, causar mais danos — especificamente, mudanças que resultam de se comer animais pequenos em vez de animais grandes. Por exemplo, quando muitas pessoas consideram os problemas com a pecuária industrial, o que frequentemente sobressai é a carne vermelha, especificamente as vacas. Infelizmente, se essa pessoa aumenta o consumo de frango ou peixe, mesmo que moderadamente, isso pode ser uma má opção ética.

A carne cultivada pode salvar o planeta?

Mesmo que o mundo passasse para uma fonte de energia totalmente limpa e usasse essa energia limpa para carregar uma frota totalmente elétrica de carros, transportes públicos e de cargas, uma importante fonte de emissões de gases de efeito estufa continuaria a crescer: a carne.

A indústria da pecuária agora é responsável por cerca de 15% das emissões globais de gases de efeito estufa, aproximadamente o mesmo que as emissões dos tubos de escape de todos os veículos do mundo. Mas enquanto se pode esperar que as emissões dos veículos diminuam à medida que proliferam híbridos e veículos elétricos, prevê-se que o consumo global de carne seja 76% maior em 2050 do que nos últimos anos.

Bem-Estar Animal

Um dos maiores problemas do mundo na atualidade poderá ser o do sofrimento de animais na indústria da carne. Em 2015, cerca de 9,2 bilhões [Pt. 9,2 mil milhões] de animais foram criados e abatidos na pecuária industrial somente nos Estados Unidos, em condições que provavelmente causam sofrimento extremo.

Esse problema parece ser incrivelmente negligenciado.