Como a pesquisa da GiveWell está a evoluir

Até hoje, a maior parte da capacidade de pesquisa da GiveWell tem-se concentrado em encontrar os programas de maior impacto entre aqueles cujos resultados podem ser medidos com rigor. Este trabalho levou-nos a recomendar e a direccionar várias centenas de milhões de dólares para instituições de caridade que melhoram a saúde, salvam vidas e aumentam o rendimento em países de baixos rendimentos.

69 coisas que podem ser de financiamento bastante eficaz (parte 2 de 2)

Abaixo listo 69 oportunidades de financiamento bastante eficazes. Essas oportunidades de financiamento têm a capacidade de absorver uma quantidade razoável de dinheiro de forma eficaz marginalmente (na ordem de dezenas a centenas de milhares de dólares), porque mesmo que haja retornos decrescentes à medida que o financiamento aumenta, a princípio haverá retornos crescentes e retornos constantes em função da escala…

O mundo está muito melhor; o mundo é horrível; o mundo pode ser muito melhor

O mundo está muito melhor. O mundo é horrível. O mundo pode ser muito melhor. Todas as três afirmações são verdadeiras.

Aqui, concentro-me na mortalidade infantil, mas o mesmo pode ser dito a propósito de muitos aspectos do desenvolvimento global. Há muitos aspectos do desenvolvimento para os quais é verdade que as coisas melhoraram ao longo dos tempos, para os quais elas ainda são terríveis, e para os quais sabemos que as coisas podem melhorar.

69 coisas que podem ser de financiamento bastante eficaz (parte 1 de 2)

Abaixo listo 69 oportunidades de financiamento bastante eficazes. Essas oportunidades de financiamento têm a capacidade de absorver uma quantidade razoável de dinheiro de forma eficaz marginalmente (na ordem de dezenas a centenas de milhares de dólares), porque mesmo que haja retornos decrescentes à medida que o financiamento aumenta, a princípio haverá retornos crescentes e retornos constantes em função da escala…

Ninguém é uma estatística

Cheguei tarde a essa discussão, mas tenho pensado no documentário “The Life Equation”, sobre como as pessoas usam dados para tomar decisões de vida ou morte. O exemplo central é o de uma mulher chamada Crecencia, mãe de sete filhos que vive na zona rural da Guatemala e tem câncer do colo do útero. O médico que a trata sabe que exames para diagnosticar o câncer em outras mulheres são mais custo-eficazes do que tratá-la, e que a comunidade não tem dinheiro suficiente para financiar completamente ambas as alternativas.

Poderemos ver o fim da Malária?

Laureado com um Nobel, Baruch Blumberg, outrora estimou que a malária matou metade das pessoas que existiram até hoje. Só em 2015, matou quase meio milhão de pessoas, 70 por cento das quais eram crianças. Hoje, cerca de 3,2 bilhões [Pt. 3,2 milhares de milhões] de pessoas estão, de acordo com a Organização Mundial de Saúde, em risco de a contrair, a maioria das quais são crianças e mulheres grávidas.

Será realista esperar que esta doença terrivelmente resiliente acabe em breve?