Altruísmo Sem Polêmica: O papel da The Life You Can Save no Altruísmo Eficaz

Ajudar os outros é um bem, e é melhor fazê-lo de modo que a nossa ajuda alcance mais pessoas. Mas para ficarmos no senso comum, é preciso de mais algumas qualificações. Primeiro, essa ajuda busca a evitar o sofrimento daqueles que encontram-se nas piores situações de uma determinada sociedade. Uma segunda qualificação importante para evitar a polêmica é que “pessoas” se refira a “pessoas humanas”. Eis um argumento pelo altruísmo alinhado ao Altruísmo Eficaz (AE), mas recorrendo apenas à moralidade do senso comum, que, eu suponho, a maioria das pessoas aceitaria.
O meu ponto inicial é que esse argumento define a abordagem da The Life You Can Save (TLYCS) dentro do AE.

A vacina contra a malária de Oxford revela-se altamente eficaz num ensaio no Burkina Faso

Uma vacina contra a malária demonstrou ser altamente eficaz em ensaios em África, oferecendo a possibilidade real de reduzir o número de mortes de uma doença que mata 400 000, na sua maioria crianças pequenas, todos os anos.

A vacina, desenvolvida por cientistas do Instituto Jenner da Universidade de Oxford, mostrou uma eficácia que vai até 77%…

A vacina da malária não é muito eficaz. A tecnologia de RNA poderá mudar isso.

Caso se fosse nomear uma doença infecciosa como sendo “a pior do mundo”, a malária provavelmente seria uma das principais candidatas. Todos os anos, esta mata mais de 400 000 pessoas, a maioria delas são crianças. Houve um progresso significativo na luta contra a malária — antes da pandemia da Covid-19, duas décadas de trabalho de saúde pública reduziram as taxas de mortalidade para metade — mas ainda há um longo caminho a percorrer.

Qual será o caminho para finalmente controlar a situação na luta contra a malária?

Decolonialismo e Altruísmo Eficaz, uma reflexão por concessões

Colonialismo e a sua contraparte, o decolonialismo, tornaram-se termos em voga nas discussões públicas que envolvem questões sociais, econômicas e filosóficas atuais. O Altruísmo Eficaz, ainda que não faça parte dessa onda, está longe de passar incólume por ela. O movimento é alvo de críticas que vão desde ser epistemicamente arrogante até ser um perpetrador de uma estrutura colonialista. Essa postagem é uma primeira reflexão, pouco ambiciosa, que pode guiar uma interação mais produtiva entre duas abordagens tão diferentes.