Se quer discordar do altruísmo eficaz, será necessário que discorde de uma destas 3 afirmações

O altruísmo eficaz é frequentemente motivado pelo apelo ao argumento do lago de Peter Singer.

Isso é bom porque é um argumento forte, concreto e bem estudado. No entanto, existem duas desvantagens (i) associa o altruísmo eficaz ao desenvolvimento internacional (ii) dá a entender que se pode refutar a importância do altruísmo eficaz ao refutar o argumento do lago.

De facto, a importância do altruísmo eficaz é muito mais robusta do que o argumento do lago.

A Filosofia Central do Altruísmo Eficaz

O meu objectivo: desenvolver uma visão sobre como devemos entender os compromissos centrais do AE, à luz dos desafios apresentados pelo objectivo de construir um movimento social.

A minha visão: O AE pode ser bastante ecuménico face a uma série de questões na teoria moral e política sobre as quais existe discordância filosófica substancial, mas deve adoptar posições controversas sobre algumas questões-chave.

Ajudar como uma obrigação e/ou como uma oportunidade? (1 de 3)

Há uma variação entre ver o altruísmo eficaz como uma oportunidade ou uma obrigação de ajudar. No censo de 2015 34% consideravam-no como uma oportunidade, 21% como uma obrigação e 42% como ambos. Nessa série de três artigos vamos explorar mais a fundo algumas características das noções de obrigação e da oportunidade em vista da doação e ajuda de terceiros. Nos dois primeiros artigos vamos nos concentrar nas noções de obrigação e oportunidade, respectivamente. As conclusões reunidas nessas etapas fomentarão a reflexão final sobre encarar o altruísmo como uma obrigação e/ou oportunidade.

A Tragédia da Ilusão Moral

Obrigação Moral Suponha que está a andar pela rua abaixo e que de repente repara numa criança se afogando em uma lagoa rasa. A maioria de nós irá considerar que é imperativo salvar a sua vida, independentemente da inconveniência pessoal ou o custo de arruinar roupas caras. Mas essa intuição moral é normativa? Ou melhor,…