Será que os animais, as plantas e os robôs devem ter os mesmos direitos que você?

Todos que estão lendo esta frase provavelmente (esperemos!) concordam que as mulheres merecem os mesmos direitos que os homens. Mas há apenas um par de séculos, essa ideia teria sido descartada como absurda. O mesmo vale para a crença de que as pessoas negras deveriam ter os mesmos direitos que as brancas. Há um conceito da filosofia que descreve esta evolução – é chamado de o círculo moral em expansão da humanidade. Ao longo dos séculos, ele se expandiu. A escravidão foi abolida. As mulheres conseguiram o voto. O casamento entre pessoas do mesmo sexo foi legalizado. Como se decide se uma entidade merece ter direitos?

Ajudar como uma obrigação e/ou como uma oportunidade? (3 de 3)

Num primeiro momento vimos alguns conceitos que permeiam a noção moral de obrigação. Em seguida, tratamos da noção de oportunidade. A motivação desses ensaios foi a questão ainda não definida no altruísmo eficaz acerca de como devemos abordá-lo: Seria o altruísmo uma obrigação ou uma oportunidade? Como vimos, ambas as abordagens se encaixam nas práticas dos participantes do movimento. Talvez por isso a maioria declare adotar as duas. No entanto, esse tipo de ecletismo não resolve a questão. Pelo contrário, ele abre mais questões já que a partir disso faz-se necessário definir quais pontos das duas abordagens serão adotados e como eles se relacionarão.

Ajudar como uma obrigação e/ou como uma oportunidade? (2 de 3)

No altruísmo eficaz há uma certa questão em aberto se o altruísmo deve ser visto como uma obrigação ou uma oportunidade. Na primeira postagem discutimos alguns conceitos centrais à noção de obrigação e começamos a pensá-los a partir da posição do altruísmo eficaz. Agora é a vez de fazer o mesmo para a oportunidade. A terceira etapa será uma conclusão a partir das lições extraídas da reflexão anterior.

Cansados demais para fazer a coisa certa

A divisão do dia em três intervalos de 8 horas é arbitrária. Sua motivação é apenas a de dividir 24 horas em três partes iguais. Desta divisão, mais do que de qualquer evidência, surgem padrões comportamentais como a jornada de 8 horas de trabalho e a necessidade de dormir 8 horas por dia. No ideal…