Qual é o seu plano moral para 2021?

Por Peter Singer e Agata Sagan (Project Syndicate)

resolução de ano novo.fx

Qual a melhor resolução de ano novo? (Arte digital: José Oliveira | Fotografias: Pixabay)

Muitas pessoas tomam resoluções de ano novo. As mais comuns, pelo menos nos Estados Unidos, são fazer mais exercício, comer de forma mais saudável, poupar dinheiro, perder peso ou reduzir o stresse. Algumas pessoas podem decidir ser melhores para uma pessoa em particular – não criticar o seu parceiro, visitar a sua avó idosa com mais frequência ou ser um amigo melhor de alguém próximo de si. No entanto, poucas pessoas – apenas 12%, de acordo com um estudo americano – decidem tornar-se uma pessoa melhor em geral, o que significa tornar-se melhor no sentido moral.

Uma possível explicação é que a maioria das pessoas se concentra no seu próprio bem-estar e não vê que ao ser moralmente melhor isso seja algo do seu próprio interesse. Uma explicação mais caridosa é que muitas pessoas vêem a moralidade como uma questão de se conformar a um conjunto de regras que estabelecem o que não devemos fazer.

Isso não é muito surpreendente em sociedades construídas a partir das tradições judaicas e cristãs, nas quais os Dez Mandamentos são considerados o cerne da moralidade. Mas, hoje, as regras morais tradicionais têm apenas uma relevância limitada para a vida comum. Poucos de nós estão em situações em que matar alguém passe sequer pela nossa cabeça. A maioria de nós não precisa de roubar, e fazê-lo não é uma grande tentação – a maioria das pessoas até devolveria uma carteira perdida com dinheiro dentro.

Para aqueles que têm essa visão de moralidade e podem ter uma vida honesta o suficiente para atender às suas próprias necessidades essenciais, ser uma boa pessoa dificilmente parece digno de uma resolução especial. Isso é o que sugere um questionário com adultos norte-americanos que apurou que apenas 23% relatam que costumam pensar ou pesquisar o aspecto ético de uma escolha nas suas vidas.

A maioria das pessoas pode simplesmente viver como sempre viveu e como vivem os seus amigos e colegas de trabalho. No mesmo questionário, outros 31% relataram que às vezes pensam sobre os aspectos éticos das escolhas nas suas vidas, sugerindo que as escolhas morais surgem apenas em circunstâncias incomuns e, portanto, muitas pessoas simplesmente lidam com essas circunstâncias quando elas surgem. E então os 46% restantes? Parece que estes nunca pensam em ética de todo!

Estas descobertas podem ser interpretadas como uma indicação de que quase metade dos americanos não considera a ética importante. Mas, no mesmo questionário, 87% disseram que é importante ensinar ética às crianças, desde o jardim de infância ao ensino secundário [Br. ensino médio]. A interpretação correcta, portanto, parece ser que, pelo menos três quartos dos americanos, pensam que a ética é importante, mas não acreditam que esta exija muita reflexão ou pesquisa.

Rejeitamos essa visão. Ser uma boa pessoa, hoje, requer pensamento e trabalho. As intuições morais que evoluíram durante muitos milénios a partir de uma vida face a face em pequenas sociedades não são as mais adequadas. As nossas acções agora – ou as nossas omissões de acção – afectam as pessoas em todo o mundo e as pessoas que viverão neste planeta daqui a muitos séculos.

Isso significa que enfrentamos escolhas morais constantemente. Problemas globais como as mudanças climáticas, a pobreza extrema, o confinamento cruel de milhares de milhões [Br. bilhões] de animais na pecuária industrial, a pesca excessiva nos oceanos e, claro, a pandemia, levantam questões complexas sobre como devemos gastar o nosso dinheiro, quanto devemos doar para ajudar os outros, o que devemos comer e como devemos usar as nossas capacidades para influenciar outras pessoas e os nossos governos. Os códigos morais escritos há milhares de anos nada dizem sobre as mudanças climáticas e geralmente nada dizem, ou dizem muito pouco, sobre a protecção do meio ambiente, o tratamento dos animais e como devemos exercer as nossas responsabilidades como cidadãos numa democracia.

Nenhum conjunto diminuto de regras pode lidar com a variedade de circunstâncias nas quais os indivíduos se encontram hoje. Ser uma boa pessoa, hoje, requer tempo e reflexão. Precisamos de nos informar sobre problemas como os que acabamos de mencionar, decidir sobre as nossas prioridades e considerar onde podemos fazer uma diferença maior. É por isso que esta é uma área apropriada para o tipo de compromisso que envolve tomar uma resolução.

Devemos direccionar conscientemente a nossa atenção para uma vida ética. É um erro pensar que podemos esperar até que a vida nos coloque numa situação que exija que façamos uma escolha moral difícil. Qualquer pessoa suficientemente rica para ter opções sobre como viver e o que fazer com o seu tempo e dinheiro já está nessa situação.

Por esses motivos, a resolução de ser uma pessoa moralmente melhor não seria uma questão de cumprimento de regras, como não fumar ou comer doces. Essas resoluções raramente são mantidas de qualquer das maneiras.

Definir metas funciona melhor, especialmente se as metas forem incrementais, como etapas ao longo de um caminho. Portanto, faça um plano moral. Pense nos seus valores e escolha uma ou duas questões que sejam importantes para si. Em seguida, pode afirmar esses valores vivendo de uma maneira que aborde as questões com as quais se preocupa, seja ao reduzir a sua contribuição pessoal para as mudanças climáticas, ou o sofrimento dos animais, ou ao encontrar as organizações mais eficazes para ajudar pessoas em pobreza extrema e ao apoiá-las com o seu tempo ou dinheiro.

Ao fazer isso, tome nota daquilo que fez e o progresso que fez. Não será perfeito. Existem poucos santos e, para a maioria das pessoas, aspirar à santidade é uma derrota na certa. Mas tenha orgulho nas suas realizações e tenha como objectivo construir a partir delas nos próximos meses e anos.


Publicado originalmente por Peter Singer e Agata Sagan no Project Syndicate, a 30 de Dezembro de 2021

Tradução de José Oliveira.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s