5000 pessoas comprometeram-se a dar pelo menos 10% do seu rendimento vitalício a instituições de caridade eficazes

Por Luke Freeman (Giving What We Can)

GWWC 5000.fx

Giving What We Can, o que é chegar aos 5000? (Arte digital: José Oliveira | Fotografias: Pixabay)

Hoje alcançamos um marco importante. Mais de 5000 pessoas comprometeram-se a doar pelo menos dez por cento dos seus ganhos vitalícios a instituições de caridade eficazes.

Desde a sua fundação, em Dezembro de 2009, A Giving What We Can atraiu membros de 87 países. Juntos, doamos pelo menos 195 milhões de dólares para instituições de caridade altamente eficazes em muitas áreas de causas diferentes. Esse dinheiro tem um impacto tangível na vida de muitas pessoas neste momento e ajudará muitas outras no futuro. 

Obrigado pela sua generosidade, o seu apoio e o seu compromisso para ajudar os outros. 

Para comemorar, os nossos membros estão a organizar eventos em todo o mundo (em pessoa e virtualmente) para que você conheça outras pessoas que tornaram a doação eficaz uma parte significativa das suas vidas. Encorajámo-lo a participar num desses eventos! 

Vários dos nossos membros enviaram algumas palavras para partilhar com a nossa comunidade – reunimos todas abaixo para que possa ler (ou ver).

Se gostaria de partilhar algo, faça-o nos comentários [aqui] ou envie um e-mail para community@givingwhatwecan.org. 

Leia o nosso comunicado de imprensa oficial sobre este marco

Citações do Vídeo

Toby Ord (co-fundador, investigador do Future of Humanity Institute) 

“Estou muito entusiasmado dado que a Giving What We Can é agora 200 vezes maior do que quando a lançamos há 10 anos. É impressionante fazer parte de uma comunidade de pessoas tão grande e amigável, todos a esforçarem-se para tornar o mundo um lugar muito melhor.” 

Will MacAskill (co-fundador e investigador da Forethought Foundation) 

“Chegar aos 5000 membros é absolutamente incrível. Isso representa um total de 217 vezes mais membros do que tínhamos no lançamento, há 11 anos. Lembro-me de quando assumi o compromisso, no início foi realmente assustador. Na época, eu era um estudante universitário e tinha uma bolsa de estudos para pagar o meu alojamento, mas estava a viver com cerca de 4500 libras por ano, das quais estava a tentar doar 900 libras durante o ano. Foi difícil. Lembro-me que me recusei a cortar o cabelo porque parecia uma despesa desnecessária… Uma das coisas que me preocupava naquela época era se eu viria a ser um pária social, tendo que explicar sempre às pessoas por que escolhi levar essa vida estranha. A resposta acabou por ser “não”, muito pelo contrário. O compromisso funcionou como uma espécie de sinal do Batman, atraindo pessoas em todo o mundo com um conjunto de valores semelhantes e é uma grande alegria ver tantas pessoas a unirem-se e a comprometerem-se a usar uma proporção significativa do seu rendimento para o bem comum. Portanto, obrigado por assumirem o compromisso e por mostrarem o que significa levar a sério a doação.” 

Julia Wise (membro n.º 179 e ex-presidente da GWWC, saúde comunitária no CEA) 

“Inicialmente, quando conheci a Giving What We Can, lembro-me de me ter sentido muito aliviada por haver todas essas outras pessoas por todo o lado que não estavam apenas a pensar no que podemos fazer pelos outros, mas estavam a tomar medidas concretas a esse respeito.” 

Derek Ball (Membro n.º 57, Professor nos departamentos de filosofia da Universidade de St Andrews) 

“Li pela primeira vez sobre a Giving What We Can num artigo de jornal há quase 10 anos. Na época, senti fortemente que precisava fazer mais para ajudar os outros, mas não tinha a certeza do que fazer. A Giving What We Can deu-me a orientação e a inspiração de que precisava — uma receita fácil de seguir para fazer o bem. Posso dizer honestamente que isso mudou a minha vida. Parabéns pelos 5000 membros!” 

Michelle Hutchinson (membro n.º 153 e ex-directora executiva da GWWC, Chefe de consultoria nas 80,000 Hours) 

“Tem sido realmente incrível ver a GWWC a crescer de alguns membros nos primeiros tempos para uma forte comunidade de 5000. É realmente incrível quantas pessoas na nossa comunidade doam e o quanto pensam sobre como usar essas doações para ajudar as pessoas tanto quanto possível. Sinto realmente que isso me ajudou a viver de acordo com os meus valores e espero que isso crie um mundo melhor para o [meu filho] Leo crescer.” 

Peter Eckersley (Membro n.º 8, investigador de inteligência artificial) 

“É uma sensação extraordinária fazer parte de um movimento crescente para tentar abordar estruturalmente esses problemas com os recursos que temos disponíveis… Agora, depois de 10 anos, com a Giving What We Can a ter 5000 a assumir esse compromisso e a fazer parte de um movimento de altruísmo eficaz maior e florescente, parece que estamos realmente a ter sucesso… Fazendo uma pausa para reflectir sobre este momento particular em 2020, parece de certa forma um tempo estranho e mais sombrio do que o período em que estávamos a preparar-nos para criar esse movimento. Mas acho realmente que,como altruístas eficazes, estamos posicionados para ser uma força construtiva para a mudança nos próximos anos.” 

Habiba Islam (Membro n.º 105, Conselheira nas 80,000 Hours) 

“Eu deparei-me com a Giving What We Can numa palestra em que participei como estudante universitária na Universidade de Oxford. A palestra foi sobre as 80,000 Hours e mencionaram O Compromisso. Entretanto, eu já tinha pensado em doar alguma proporção do meu rendimento à caridade, mas ao ouvir falar sobre a Giving What We Can isso realmente ajudou-me a aumentar as minhas ambições para doar uma parte significativa do meu rendimento e também a pensar muito cuidadosamente sobre a eficácia das instituições de caridade para as quais estava a doar. Ambas as ideias faziam muito sentido para mim, por isso assinei o Compromisso Adicional enquanto era estudante universitária. Avançando 10 anos, eu agora realmente gosto d e fazer parte da comunidade do altruísmo eficaz. Muitos dos meus melhores amigos e colegas são pessoas que conheci através do AE – e tudo remonta àquela primeira reunião, acerca das 80,000 Hours, e ao ouvir falar sobre (e assinar) o Compromisso Adicional.” 

Citações Escritas

Peter Singer (membro n.º 16, filósofo moral e autor de livros como Libertação Animal e A Vida Que Podemos Salvar [Br. Quanto Custa Salvar Uma Vida]

“Para mim a data do início do movimento do Altruísmo Eficaz é desde a fundação da Giving What We Can. Estou muito feliz que tenha atingido agora a marca significativa de 5000 membros, porque isso significa uma quantia muito significativa que irá ajudar as instituições de caridade mais eficazes. Mas não esqueçamos que a GWWC fez muito mais do que isso – foi a centelha para um movimento que inspirou muito mais pessoas a pensar sobre as suas doações à caridade e sobre a direcção geral das suas vidas.” 

Nick Beckstead (Membro n.º 29, Responsável de um Programa na Open Philanthropy) 

“Assumi o compromisso da GWWC porque acreditava que as minhas doações poderiam fazer muito mais bem pelos outros do que por mim; eu tinha dinheiro suficiente para ser feliz e produtivo; e queria encorajar os outros a doar pelos mesmos motivos. Acho que há algo de poderoso em colocar os nossos ideais em prática enquanto grupo com a intenção central de fazer o maior bem esperado em prol dos outros. Tem sido uma óptima maneira de me inspirar e de me associar a pessoas que têm prioridades semelhantes. Sinto-me muito feliz porque os nossos números chegaram aos 5000, e estou ansioso para comemorar no futuro a marca dos 10 000!” 

Ben Eidelson (membro n.º 26, professor assistente de direito na Harvard Law School) 

“É extraordinário ver como esta comunidade cresceu na última década e todo o bem que realizou. Quando o Will MacAskill partilhou comigo a ideia de um compromisso de doação em 2009, achei que era um óptimo caminho para um punhado de pessoas comprometidas com certos valores para aumentar o custo de se afastarem desses valores. Mas não penso que alguém imaginasse que a comunidade cresceria como cresceu ou que ajudaria a iniciar um movimento mais amplo. Sinto-me grato e inspirado por todo o trabalho que tantos fizeram para alcançar um marco como este.” 

Joseph Millum (Membro n.º 6, Bioeticista do National Institutes of Health) 

“Por mais de uma década, esse compromisso lembrou-me e inspirou-me a doar. Nesse tempo, o incrível crescimento do movimento do altruísmo eficaz – exemplificado por quase 5000 pessoas que assumiram o compromisso da GWWC – deixa-me optimista sobre o que podemos fazer, como indivíduos e como um colectivo. Cada um de nós pode fazer uma diferença significativa na vida dos outros. Juntos, podemos manter o compromisso mútuo de dar mais, e fazê-lo com base em provas sólidas.” 

Tom Ash (membro n.º 42, fundador da Rethink Charity) 

“Estou ansioso que se chegue ao 10 000.º membro! Sempre achei que doar com eficácia é uma das ideias mais valiosas no AE e algo em que vale a pena colocar mais atenção, o que fazia parte daquilo que pensava acerca do Questionário Anual do AE. Esse crescimento no número de pessoas que assumiram o compromisso é encorajador e espero que incentive os AEs a espalhar esse conceito prático e essencial.” 


Originalmente publicado por Por Luke Freeman na Giving What We Can, a 27 de Setembro de 2020.

Tradução de José Oliveira.

 

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s