Qual a Razão de Ser Vegano(a)?

Por Animal Ethics

Oqé_Veganismo1

Qual a razão de ser vegano(a)? (Arte digital: José Oliveira | Fotografia: Pexels.)

Qual é, em poucas palavras, o motivo para nos tornarmos veganos(as)?

Sofrer e morrer é prejudicial para nós. Mas também é prejudicial para outros animais sencientes. Não há dúvida, hoje em dia, de que os animais podem sentir e sofrer. No entanto, eles são explorados de maneiras terríveis que lhes causam grande sofrimento. Um número enorme de animais são mortos a cada ano, depois de terem vivido vidas terríveis, pois são usados na produção de carne, ovos, laticínios, mel, couro e seda.

A boa notícia é que podemos evitar isso. Dietas veganas bem planejadas são saudáveis ​​durante todas as fases da vida. Portanto, podemos abster-nos de causar sofrimento e morte aos animais. Então, por que não tentar?

Hoje, a maioria das pessoas rejeita práticas como lutas de cães e outras formas de abuso de animais. Mas quando pensamos sobre isso, podemos ver que algo muito parecido acontece quando se trata de confinar animais durante toda a vida, fazendo com que sofram e sejam por fim mortos, como é feito hoje em fazendas e matadouros. Por essa razão, um número crescente de pessoas está escolhendo substituir os produtos de origem animal por saborosas refeições veganas.

Há outra maneira de pensar sobre isso. Existe uma maneira simples de avaliar se uma determinada situação em que alguns indivíduos são beneficiados, enquanto outros são prejudicados é justa. Podemos nos colocar na posição daqueles que são afetados. Podemos fazer isso imaginando como seria, primeiramente, estar no lugar daqueles que são prejudicados e, em seguida, no lugar daqueles que se beneficiam e ver se consideraríamos que valeria a pena. No entanto, se fizéssemos isso no caso dos animais que exploramos, dificilmente pensaríamos que vale a pena. Suponhamos que, para apreciar o sabor de certos produtos animais, tivéssemos que suportar os danos que os animais sofrem nas fazendas e nos matadouros. É claro que nunca aceitaríamos isso.

É pior comer certos animais do que outros?

Gatos e cães são comidos em vários países, onde são privados de suas vidas, e também sofrem terrivelmente nas gaiolas minúsculas onde são mantidos até serem espancados e mortos. Isso choca, com razão, muitas pessoas. No entanto, devemos notar que outros animais, como aqueles tipicamente mortos em fazendas e matadouros, podem sofrer e sentir prazer tanto quanto cães e gatos. Além disso, as vidas que eles têm não são melhores do que a de cães e gatos que são mortos para o consumo. Animais como galinhas (que são a maioria dos animais explorados nas fazendas hoje), vacas, porcos e coelhos são confinados em espaços tão pequenos que mal podem se mover. Aqueles que estão doentes não são tratados e muitas vezes morrem em agonia. Finalmente, são transportados em condições de superlotação para um matadouro, onde morrem com dor e medo, às vezes cozidos ou esfolados vivos. São mortos quando ainda são muito jovens.

À luz de tudo isso, não há motivos sólidos para pensar que o que é feito com eles é menos terrível do que aquilo que acontece com outros animais, como cães e gatos que são comidos em alguns lugares.

Qual o problema em comer peixe?

Os peixes têm sistemas nervosos centralizados que os tornam sencientes (conscientes). Isso tem sido apoiado por numerosos estudos que demonstraram de maneira consistente que peixes têm a capacidade de sofrer e sentir prazer, assim como mamíferos, pássaros, répteis e outros animais. Algumas pessoas acreditam que os peixes não podem sentir dor, mas isso tem se revelado errado, não apenas em relação aos peixes ósseos, mas também em relação a outros animais aquáticos, incluindo muitos invertebrados que são pescados. Você pode ler mais sobre quais animais são sencientes aqui.

Porque o número de animais que são pescados ou explorados em viveiros aquáticos é enorme, podemos fazer uma grande diferença ao deixar de comê-los.

Qual o problema em comer ovos?

Os ovos não são sencientes, então, comendo um ovo, você não lhe está causando nenhum dano. No entanto, a produção de ovos prejudica muito as galinhas. Em primeiro lugar, devemos ter em mente que a grande maioria das galinhas mantidas hoje para pôr ovos vive em fazendas industriais nas quais suas vidas são terríveis. Você pode ler mais sobre isso aqui. Além disso, as galinhas são sistematicamente mortas e substituídas por animais mais jovens quando a produção de ovos diminui (elas ainda podem pôr ovos por anos, mas é mais rentável, para a indústria, ter galinhas novas que ponham mais ovos). Isso acontece em todos os lugares, não apenas nas fazendas industriais. Apesar das galinhas poderem viver até 15 anos, em fazendas industriais geralmente são mortas no segundo ano de vida e em outras fazendas quando completam seis anos.

Finalmente, para cada galinha usada para pôr ovos, há um pintinho macho recém-nascido que é morto. Isso ocorre porque as galinhas poedeiras foram selecionadas de acordo com quantos ovos podem pôr (enquanto as galinhas selecionadas para serem consumidas são de uma raça diferente). Isso significa que metade dos pintinhos que nascem na indústria dos ovos são mortos, isto é, aqueles que são do sexo masculino e não podem pôr ovos.

Não precisamos contribuir para essa situação. Podemos evitar tudo isso comendo outras coisas em vez de ovos.

Existem muitas substituições de ovos na culinária: uma banana amassada ou ¼ de xícara de purê de maçã podem substituir um ovo em sobremesas doces; duas colheres de sopa de purê de batata instantâneo podem substituir um ovo em diversas receitas salgadas; e existem vários produtos que substituem os ovos que também podem ser usados na culinária. ​

Quais são os motivos para evitar o leite?

Intuitivamente parece que para beber leite não é preciso prejudicar as vacas. Infelizmente, as coisas são bem diferentes, como é explicado aqui.

Hoje, existem muitos leites vegetais, como o de soja, aveia, arroz, entre outros, bem como queijos e iogurtes veganos, por isso hoje é mais fácil do que nunca abandonar o consumo de produtos lácteos.

Existe um motivo para não comer mel ou moluscos?

Temos fortes razões para não comer animais invertebrados, porque muitos deles têm sistemas nervosos complexos, que os tornam capazes de sentir dor. Um grande número de abelhas sofre devido à sua exploração por seres humanos para fazer mel e outros produtos. Em vez de mel, podemos usar outros produtos similares, tais como xarope de agave, melaço ou xarope de bordo. Um grande número de abelhas são usadas para a produção de mel e outros produtos todo ano. Além disso, a criação de insetos para uso como alimento está crescendo em todo o mundo. Isso envolve reproduzir e matar um número impressionante de seres, por isso é muito importante se opor a essa prática.

Embora pareça claro que animais como as abelhas são sencientes, algumas pessoas têm dúvidas sobre se outros invertebrados como os mexilhões são sencientes. De fato, há evidências sugerindo que eles podem ser sencientes. Podemos evitar potencialmente causar-lhes danos desnecessários ao não comê-los. Note-se que, no caso de outros moluscos, como polvos ou lulas, as evidências de que eles são sencientes são enormes. As esponjas, no entanto, são animais que não possuem sistema nervoso e, portanto, não são sencientes.

Não há problema em matar bactérias?

As bactérias são organismos vivos, mas não são seres sencientes. As bactérias não possuem neurônios ou um sistema nervoso centralizado que lhes permita ter experiências conscientes. Os organismos não sencientes não podem ser prejudicados ou beneficiados por nossas ações ou omissões. Assim, matar bactérias nocivas não representa nenhum problema ético.

Os cogumelos e leveduras são alimentos veganos?

Cogumelos e leveduras são fungos, organismos vivos que, como plantas e bactérias, não são sencientes – não podem sentir dor ou ter outras experiências conscientes. São, portanto, alimentos veganos.

A agricultura orgânica é boa para os animais?

A maioria das técnicas de agricultura orgânica envolve prejudicar, de forma direta ou indireta, seres sencientes. Métodos populares, como “controle biológico”, implicam que certos animais sejam predadores de outros em nosso benefício. Do ponto de vista dos seres sencientes que estão sendo dizimados, isso não é diferente de usar pesticidas, por exemplo. De um jeito ou de outro, os animais acabam sendo feridos ou mortos, muitas vezes de maneiras dolorosas. Rejeitar o especismo significa que devemos estar constantemente procurando maneiras de resolver nossos problemas de forma a causar o menor prejuízo possível a outros seres sencientes.


Texto originalmente publicado no site Animal Ethics, uma das organizações de defesa dos animais considerada de destaque pela Animal Charity Evaluators.

Tradução: Ligea Hoki. Revisão: Lara André e José Oliveira.

Botao-assineBoletim

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s