Minimalismo e Altruísmo Eficaz

Por Robert Mathers (TLYCS)

Minimalismo(19)

Minimalismo e altruísmo eficaz? (Arte digital: José Oliveira | Fotografias: Pixabay)

O minimalismo significa que nos concentremos no que é mais importante para nós e na remoção de distrações desnecessárias. A ideia tem valor porque há tantas coisas que nos desviam do que realmente queremos e é por isso que o minimalismo abrange áreas como a organização do espaço em que vivemos, gastar dinheiro de forma sensata e otimização do tempo livre, atenção e esforço. Estas ideias complementam as do altruísmo eficaz, mas as intenções altruístas de muitos não podem ser convertidas em ações devido à falta de dinheiro e de tempo. Este post mostrará maneiras minimalistas de libertar mais desses dois recursos valiosos, enquanto melhora a sua qualidade de vida.

Poupar Dinheiro

Roupas

O guarda-roupa de um minimalista contém apenas roupas que se ama e usa regularmente. Isso também significa que se estará mais propenso a cuidar dessas peças de roupa e a fazer reparos em vez de descartá-las apressadamente. No entanto, uma pesquisa encomendada pela Ariel em 2017 descobriu que esta é uma abordagem rara, pois o britânico médio gasta mais de 1.000 libras em roupas anualmente. De acordo com o relatório, a mulher média possui 95 peças de vestuário, enquanto apenas 59% delas são usadas regularmente e o homem médio possui 56 peças, com 62% usadas regularmente.

O Projeto 333 é um desafio minimalista e uma excelente resposta a esse consumo excessivo. Ajuda as pessoas a determinar quantas peças de roupa precisam para obter a satisfação que buscam na moda. Trata-se de vestir 33 itens ou menos ao longo de 3 meses, incluindo roupas, acessórios, jóias, casacos e sapatos. Aqueles que aceitam o desafio muitas vezes atendem às suas necessidades face à moda e ainda beneficiam dos gastos reduzidos e de uma maior satisfação.

Espaço onde se vive

Talvez a forma como o minimalismo lhe possa poupar mais dinheiro seja através da sua casa. Ao possuir apenas itens necessários e emocionalmente valiosos e ao saber usar o espaço eficientemente, sua casa ideal pode se tornar muito menor e, portanto, mais barata sem sacrifícios. Faz sentido olhar para cada metro quadrado do espaço onde se vive como tendo um preço, porque realmente tem. Além disso, é comum usar muito mal o espaço pelo qual trabalhamos arduamente para pagar. Uma pesquisa que estudou famílias em grandes casas de Los Angeles mostrou que estas, ao longo de duas tardes e noites, usavam no máximo 40% do espaço onde vivem.

Também há benefícios emocionais em viver em espaços menores. Ajahn Brahm, uma das principais autoridades budistas do mundo, relatou o valor de crescer em uma casa pequena. “Uma das coisas que se aprende vivendo em lugares pequenos com outros membros de sua família é a ter boas relações. Quando se mora em um lugar tão grande onde todos têm seus próprios quartos… significa que se tem muitos buracos, muitos lugares onde se meter em vez de resolver os problemas sociais que tem com seus irmãos, com seus pais ou com os seus filhos.”

Carros

É provável que um minimalista tenha apenas um carro se este lhe fornecer um uso e satisfação suficientes relativamente ao seu custo e manutenção. Para aqueles cujos carros passem neste teste, o minimalismo incentiva a que compre um que atenda às suas principais necessidades. No entanto, muitos fatores que influenciam o custo de um carro estão para além dessas necessidades, como a sua marca, velocidade máxima, design, cor, tração, tecnologia e complementos. Uma abordagem minimalista pode libertar dinheiro extra em cada uma dessas áreas, incentivando-nos a comprar carros com um preço muito mais baixo, e ainda assim conseguindo realizar o seu o trabalho de forma admirável.

Comida

Muitas vezes desperdiçamos comida e, portanto, o dinheiro que essa comida custa, para não mencionar o tremendo preço face ao meio ambiente e, muitas vezes, face aos animais. Isso acontece porque a comida se torna insegura para comer ao longo do tempo já que não planejamos as refeições, nem percebemos se temos uma grande quantidade de coisas em nossos armários e frigoríficos, deixando tudo estragar ao preferir ir a um restaurante para pagar por ainda mais comida. Outra fonte de desperdício é servir porções que são maiores do que gostaríamos de consumir (ou os nossos familiares ou convidados), então acabamos jogando no lixo quantidades consideráveis ​​de comida perfeitamente boa. Uma pesquisa de um grupo consultivo sobre resíduos e reciclagem afirma que a família média do Reino Unido desperdiça, por ano, 470 libras de alimentos perfeitamente comestíveis. Ser minimalista em suas compras de alimentos, preparo e consumo pode ajudar a reduzir esse desperdício, comprando apenas as coisas que se precisa e que se vai acabar por comer. (O seguidor da TLYCS, José Oliveira, escreveu um excelente blog sobre este tópico: Changing what is on our plate [Mudar o que está no nosso prato])

Sentimentos Negativos

Comprar roupas, comida ou outros produtos do comércio em resposta ao tédio ou ao vazio subjacente é infelizmente comum. Viver de forma minimalista evita esses gastos e, portanto, resulta em uma poupança significativa de dinheiro. Mais importante, quando não se usa produtos para se superar temporariamente esses sentimentos, estamos inclinados a buscar soluções de longo prazo quando estes sentimentos surgem.

Poupar tempo

Tempo social

O minimalismo incentiva a considerar o valor real do seu tempo social e a remover ou diminuir quaisquer aspectos que, efetivamente, não lhe tragam felicidade. Isso pode incluir hobbies, grupos de amizade, atividades e compromissos sociais. Uma análise rápida pode libertar o tempo social que tenha pouco efeito, ou mesmo efeitos negativos, em sua felicidade, deixando apenas os relacionamentos e atividades que realmente se valoriza.

Livros, filmes e programas de TV

Parte do nosso tempo livre envolve experimentar livros, filmes ou séries de TV e escolhemos muitos deles, apesar de se estar um pouco em dúvida face à sua qualidade e se vamos até mesmo apreciá-los. Para quem tenha falta de tempo livre, limitar sua visualização e leitura a obras que se está convencido que serão totalmente agradáveis ​​ou úteis é uma maneira rápida e fácil de libertar tempo para usos potencialmente mais satisfatórios.

A Internet e as Redes Sociais

Como há muita coisa disponível na Internet, é fácil passar muito tempo visualizando ou lendo conteúdos com apenas uma relação vaga com as coisas de que gostamos. Estar inscrito para receber notificações e e-mails de um grande número de sites e aplicativos também pode nos deixar frequentemente distraídos por ofertas e anúncios irrelevantes. Todo esse tempo se acumula porque usamos a Internet todos os dias. Um relatório de um observador da comunicação social, Ofcom, afirma que os britânicos gastam uma média de 24 horas por semana on-line e, para um quarto dos adultos, esse número sobe para mais de 40 horas. Portanto, uma rápida análise de seus hábitos pode ser altamente eficaz para criar mais tempo livre.

Limpeza, organização e manutenção

Isso corresponde ao ponto sobre o espaço onde se vive. Se mora em uma casa grande contendo muitos bens, uma quantidade significativa de seu tempo livre pode envolver limpeza, organização e manutenção. O valor do minimalismo aqui é simples: terá as coisas e o espaço necessários para a sua maior felicidade e não terá que gastar tempo cuidando de algo supérfluo.

Em resumo, o minimalismo é uma ferramenta altamente eficaz para melhorar a qualidade de nossas vidas de várias maneiras. Pode diminuir nosso estresse, aumentar nossa felicidade, beneficiar nosso planeta (o que, por sua vez, nos beneficia) e pode libertar dinheiro e tempo significativos que podemos economizar ou gastar de maneiras muito mais significativas. Uma dessas formas é apoiar aqueles que vivem em pobreza extrema. Até mesmo o fato de termos a opção de viver de forma mais minimalista demonstra o quão sortudos somos relativamente a ter coisas como livros, filmes ou carros de qualquer tipo, que são sonhos incompreensíveis para aqueles que lutam para sobreviver com menos de 1,90 dólares por dia. Simplesmente removendo ou diminuindo aquelas coisas que por sua completa abundância complicam nossas vidas pode nos dar os recursos para aliviar a profunda dor e sofrimento dos outros, com o bônus de que isso, por sua vez, também aumenta nossa própria felicidade. Esta é uma bela oportunidade que devemos aproveitar.

 

Recursos

Para quem esteja interessado em saber mais sobre o minimalismo, eu recomendo o seguinte:
Minimalism: A Documentary About The Important Things [Minimalismo: um documentário sobre as coisas importantes] (disponível no Netflix)
The Minimalists – Start Here [O Minimalismo – Comece Aqui]
BEGINNER’S GUIDE TO MINIMALISM- How to Start and Succeed [O Guia do Minimalismo para o principiante – Como começar e ter sucesso]
Marie Kondo: “The Life Changing Magic of Tidying Up” [“A magia da mudança de vida através da arrumação”] – palaestra no Google (ou  livro na Amazon)
10 Minimalist Challenges To Help You Win At Decluttering [10 Desafios de minimalismo para o ajudar a ganhar na organização]
– o Blog  – The Life You Can Save


Postado originalmente por Robert Mathers em 25 de Outubro de 2018 no Blog The Life You Can Save .

Traduzido por Thiago Tamosauskas. Revisão José Oliveira.

 

Botao-assineBoletim

 

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s