Como as nossas instituições de caridade recomendadas estão a lidar com a pandemia da COVID-19 — The Life You Can Save

Por Charlie Bresler (The Life You Can Save)

Coronavírus-ajudar-mais-pobres

Coronavírus, como ajudar os mais pobres? (Arte digital: José Oliveira | Fotografias: Pixabay)

A COVID-19 está a dominar a vida da maioria dos governos, organizações, empresas, famílias e indivíduos. Estão a perguntar à The Life You Can Save, como organização, se não defendemos formalmente a doação de dinheiro a grupos e indivíduos do mundo desenvolvido que lidem directamente com as consequências médicas e financeiras do vírus. A nossa resposta reside, em parte, nas estatísticas impressionantes com que as nossas organizações sem fins lucrativos recomendadas lidam todos os dias no mundo em desenvolvimento:

  • 15 000 mortes, por dia, de crianças menores de 5 anos — 5,3 milhões por ano — mais de metade são evitáveis;
  • Só de malária, 435 000 mortes por ano;
  • 2,1 mil milhões [Br. 2,1 bilhões] de pessoas sem acesso a água potável (29% da população mundial);
  • 734 milhões de pessoas a viver em pobreza extrema (com menos do que o equivalente a 1,90 dólares por dia)

Estes factos, entre outros, são o que nos levaram ao apoio exclusivo e contínuo às nossas organizações sem fins lucrativos recomendadas, mesmo ao enfrentar esta catástrofe. A COVID-19 está a provocar a insegurança e o medo no mundo desenvolvido, que são habituais para as pessoas que vivem na pobreza extrema.

Enquanto escrevo isto, o vírus está a sobrecarregar instalações e funcionários médicos na cidade de Nova York. Isso também se aplica a cidades no norte da Itália, na Espanha e no Reino Unido. Só posso imaginar como as comunidades médicas se irão desenvencilhar em Mumbai, Nairóbi e Lagos à medida que o vírus chegar a essas cidades.
Uma coisa é clara, as pessoas que enfrentam a pobreza extrema vivem em áreas onde o pessoal médico e as instalações médicas para cuidar daqueles que contraem a COVID-19 são inexistentes ou inadequados. Muitas dessas pessoas vivem em áreas com elevada densidade populacional (por exemplo, bairros de lata [Br. favelas] na Índia, guetos na África do Sul, campos de refugiados em todo o mundo), onde o saneamento inadequado contribui para a disseminação e devastação do contágio.

Lembremos que o “distanciamento social” significa distanciamento físico, e não isolamento social ou emocional. Vamos manter-nos ligados uns aos outros da maneira que pudermos, sem estarmos fisicamente próximos.

Compaixão ——> Generosidade ——> Faça o Bem. Sinta-se bem.

Publicado originalmente por Charlie Bresler na newsletter da The Life You Can Save, em Abril de 2020.


Como as nossas instituições de caridade recomendadas estão a lidar com a pandemia da COVID-19 — The Life You Can Save

Permanecemos firmes na nossa missão e sabemos que agora teremos que trabalhar ainda mais para ajudar a salvar e a melhorar vidas, pois aqueles que já são pobres serão, sem dúvida, os mais atingidos por esta crise.

“Por pior que o coronavírus tenha sido nos países ricos, provavelmente será muito mais devastador nos países pobres que possuem piores sistemas de saúde. Em muitos lugares, o distanciamento social não é sequer uma opção. Imagine a rapidez com que o vírus pode espalhar-se num campo lotado de refugiados sem higiene e saneamento adequados.”
Susan Athey e Dean Karlan

Todas as nossas organizações sem fins lucrativos recomendadas estão a movimentar-se rapidamente e a tomar medidas exemplares para proteger as suas equipas durante a crise. E muitas delas estão a implementar programas específicos que irão combater o impacto devastador da COVID-19 entre os seus beneficiários e irão garantir a implementação segura dos seus programas essenciais. Abaixo estão as actualizações sobre como essas organizações estão a adaptar-se — com a ajuda de doadores como o leitor! — para que possam continuar nestes tempos em que a sua ajuda é necessária mais do que nunca. (Repare que estamos a incluir actualizações à medida que as recebemos; portanto, verifique esta página regularmente para ver as novas informações!)

Para apoiar o seu trabalho, pode fazer uma doação que será dividida em partes iguais entre todas as organizações sem fins lucrativos recomendadas, por meio do Apelo de Todas as Instituições de Caridade, ou escolher organizações específicas para apoiar através dos botões abaixo ou aqui.

Development Media International 

Photo report for ​Development Media International (DMI) in ziniare.

DMI, Burkina Faso

31 de Março de 2020

Declaração COVID-19 da DMI

“A DMI possui equipas nacionais no Burkina Faso, na Costa do Marfim, na Etiópia, em Madagáscar, no Malawi, em Moçambique, na Tanzânia, no Uganda e na Zâmbia. Estas equipas têm um forte relacionamento com os Ministérios da Saúde e com as estações de rádio que atingem grandes populações. Portanto, a DMI está muito bem posicionada para apoiar a resposta da comunicação de saúde para a COVID-19 nesses nove países. A DMI já foi abordada pelos ministérios da saúde com pedidos para apoiar os seus esforços na COVID-19.

Também temos provas substanciais de que as campanhas de rádio e TV podem melhorar os comportamentos relacionados com a higiene, com base em dados da Etiópia, Gana, Camboja e Tanzânia. As provas mais rigorosas vêm de uma campanha relacionada com o tracoma que o Director Executivo da DMI supervisionou na região de Amhara, na Etiópia, em 2002-2005. A campanha foi avaliada pela Escola de Higiene e Medicina Tropical de Londres e com base em observações de mais de 1700 crianças, em vez de dados de investigação. Este mostrou reduções drásticas de mãos sujas, passando de 59,3% para 36,5% usando apenas mensagens de rádio. Os dados foram publicados na Tropical Medicine and International Health.

O nosso principal objetivo é ajudar os ministérios da saúde a alcançar as comunidades com mensagens essenciais relacionadas com a COVID-19, usando os nossos relacionamentos existentes com as estações de rádio e a nossa capacidade de produzir rapidamente anúncios radiofónicos de alta qualidade. Os anúncios de rádio cobrirão uma variedade de tópicos, de acordo com as orientações da OMS e as prioridades nacionais, por exemplo, a promoção da lavagem das mãos e do distanciamento social.

A DMI está numa procura activa por financiamentos para apoiar as campanhas COVID-19 nos países em que opera. Esperamos lançar campanhas de rádio COVID-19 no Burkina Faso e em Moçambique nas próximas semanas.”

Doar à DMI

Evidence Action

ipa-chlorine-disp-156-545x821-1

Evidence Action/ Dispensers for Water Safe

Em 26 de março, a Directora Executiva da Evidence Action, Kanika Bahl, compartilhou esta actualização:

“Estamos a trabalhar rapidamente para identificar e enfrentar proactivamente os desafios à medida que estes surgem. Por exemplo, os medicamentos para a desparasitação de centenas de milhões de crianças dependem do funcionamento das cadeias de abastecimento globais, com ingredientes activos provenientes principalmente da China. Como essa cadeia de abastecimento falha, estamos directamente envolvidos com os fornecedores para mapear e identificar fontes de capacidade de produção alternativa, com o objetivo de minimizar os problemas que centenas de milhões de crianças podem enfrentar.

Enquanto isso, com a Dispensers for Safe Water [Dispensadores de Água Potável], estamos a preparar-nos activamente para fechar os nossos centros de transporte em África. Isso inclui equipas que trabalham dia e noite para fazer entregas antecipadas de cloro e abastecimentos essenciais para sustentar as operações por três meses.

Para ajudar a retardar a disseminação da COVID-19 na zona rural de África, a Evidence Action também lançou uma campanha de angariação de fundos para fornecer abastecimentos vitais, incluindo sabão e desinfectante, às comunidades apoiadas pelos Dispensers for Safe Water. Podem ser feitas doações para esta iniciativa específica aqui:

 

Doar à Evidence Action

Apesar dessas e de outras medidas, pode haver desafios que poderemos não superar – as crianças podem não ser desparasitadas conforme o planeado se as escolas permanecerem fechadas e os distribuidores podem cair em desuso se a viagem para manutenção não for possível. No entanto, da melhor maneira que nos for possível, estamos a procurar agir com urgência a serviço dos pobres durante este período de imensa necessidade. É com o apoio dos nossos doadores que seremos capazes de mudar face a esses desafios, mantendo o nosso valor de agir com urgência neste momento de necessidade.”  

Pode ler o texto completo de Kanika aqui .

Oxfam

Oxfam

Oxfam

Uma mensagem da Oxfam:

“A Oxfam está a responder à pandemia da COVID-19, protegendo e defendendo as pessoas mais vulneráveis ​​nos Estados Unidos e em todo o mundo. Sabemos muito bem que quando ocorre uma crise, as comunidades mais pobres e marginalizadas sofrem os piores efeitos. Da nossa experiência com outros surtos, como o Ébola, o vírus Zika e outras doenças, sabemos que é fundamental trabalhar directamente com as comunidades para garantir que estas tenham acesso às informações correctas e que estejam envolvidas nas decisões que afectam as suas vidas. Actualmente, estamos a trabalhar com os nossos parceiros, ministérios da saúde governamentais e principais agências da ONU em 65 países para coordenar a nossa resposta. Dada a nossa experiência em saúde pública, água e saneamento, muitas das nossas equipas estão a aumentar a distribuição de sabão e saneamento, incluindo instalações para lavagem das mãos e água limpa — especialmente para pessoas em áreas de maior risco. Também estamos a concentrar o nosso trabalho de envolvimento comunitário na ajuda às pessoas a minimizar o risco de infecção, fornecendo informações e conselhos precisos nos idiomas locais por intermédio dos meios de comunicação social e em massa.”

Leia mais sobre a resposta da Oxfam à epidemia de COVID-19 aqui .

Doar à Oxfam

Sanku/Project Healthy Children

phc-sympho-single-545x742-1

Uma atualização de Felix Brooks-church, Presidente Co-fundador e Director Executivo

“Em resposta à actual pandemia global, a Sanku está a garantir que os dois milhões de pessoas que auxilia todos os dias continuam a receber farinha fortificada para salvar vidas durante esta crise, ao mesmo tempo que protege a saúde dos nossos 31 funcionários e 357 moleiros e as suas famílias.

Embora essa paralisação esteja a diminuir a capacidade do sector de empresas sociais de gerar impacto, a Sanku mobilizou operações para garantir o direito humano básico à nutrição e tomou as medidas abaixo para garantir que a cadeia de abastecimento alimentar fortificada não seja interrompida.

  • Mobilizamos uma equipa munida com o equipamento de proteção necessário para fornecer mais de 300 dos nossos moleiros parceiros com um abastecimento de vários meses de sacos de farinha vazios e pré-mistura de nutrientes, necessários para continuar a fortalecer a sua farinha durante este período. Ao fazer isso e ao subcontratar as entregas concretas desses produtos a uma empresa de logística local, eliminamos a possibilidade de a nossa equipe ficar exposta.
  • Enviamos “kits de saúde” a cada um dos moleiros, que incluem um abastecimento numeroso de luvas, máscaras, sabão medicinal e desinfectante para as mãos para os cerca de 1000 operários de fábricas na Tanzânia. A Sanku está determinada a manter uma saúde e higiene aprimoradas para todos os funcionários e moleiros, bem como para os alimentos essenciais que os moleiros produzem para dois milhões de pessoas todos os dias que precisam criticamente de sistemas imunológicos fortes em qualquer altura, mas especialmente durante esta crise.
  • Também estamos a explorar um novo projecto para alimentar os milhões de crianças que não estão a comer porque as escolas estarão fechadas num futuro previsível. Estes programas de alimentação escolar costumam ser a principal refeição diária da criança.

Para continuar a fazer isto, agora precisamos desesperadamente de capital para aumentar os níveis de reservas de sacos de farinha e de pré-mistura de nutrientes e comprar imediatamente kits de saúde adicionais para os nossos moleiros e para as suas famílias, bem como para as famílias das crianças em idade escolar que agora são obrigadas a voltar para casa devido ao encerramento das escolas. Se não formos capazes de fazer isso, estaremos a privar milhões do direito humano básico de nutrição e segurança sanitária. A nossa equipa está pronta para fazer a sua parte, mas precisamos do apoio dos nossos doadores.”

Apoie a Sanku/PHC aqui

Innovations for Poverty Action 

screen-shot-2020-03-27-at-2.04.01-pm-545x349-1

Da Directora Executiva da IPA, Annie Duflo:

“A vantagem comparativa da IPA é a gestão de investigação e a abordagem política. Visto que as provas actualizadas e rigorosas são necessárias em tempos de crise, e dado a sua posição única, estes sentem que é da sua responsabilidade contribuir de várias maneiras — ou seja, aproveitando a sua presença no terreno em 22 países, a sua experiência de recolha de dados e as suas relações com os governos. Por exemplo, a 9 de Março, a nossa equipa de Paz e Recuperação começou a aceitar propostas fora do âmbito comum, sensíveis a este tempo, que respondem a perguntas sobre como as comunidades podem responder melhor ao choque e à crise da COVID-19.

Actualmente, a IPA está a explorar activamente maneiras de apoiar os parceiros nas necessidades de investigação, de informação e de dados durante esta crise. Por exemplo, criando e partilhando provas sobre como obter mudanças comportamentais para diminuir a disseminação da COVID-19.”

Doar à IPA

Population Services International 

ms-147-scaled-e1585778422687-545x536-1

Uma mensagem do Director Executivo da PSI, Karl Hofmann:

“Nesta crise em rápida evolução, a PSI está a aplicar os nossos 50 anos de experiência para atender às necessidades dos Ministérios da Saúde locais e para garantir que as pessoas que servimos possam aceder a serviços críticos de autocuidado, prevenção e assistência médica. A nossa resposta ao COVID-19 baseia-se na nossa experiência de surtos anteriores — incluindo o Ébola, o Zika e a cólera — para projetar, implantar e melhorar continuamente intervenções que são eficazes e seguem aprendizagens globais em evolução. Estamos a projectar a nossa resposta em estreita colaboração com os nossos parceiros, tudo em cada contexto nacional específico.

As equipas da PSI em todo o mundo já começaram a:

  • Promover intervenções não farmacêuticas por meio de comunicações de mudança de comportamento social que ajudarão a conter o surto, como lavagem das mãos, distanciamento social e acesso a fontes confiáveis ​​de informações relevantes localmente, a exemplo de uma campanha criada no Laos em parceria com o Ministério da Saúde.
  • Expandir a nossa presença digital para alcançar utilizadores com mensagens essenciais de prevenção, avaliação do risco pessoal e, quando necessário, encaminhamento para atendimento clínico, assim como o uso das nossas plataformas digitais originalmente criadas para o autoteste de HIV em muitos países africanos.
  • Limitar a disseminação de informações falsas em torno da COVID-19 criando rapidamente estratégias de marketing localizadas para dissipar mitos e fornecer informações precisas sobre a transmissão, a prevenção e os sintomas, como os nossos ciber-educadores estão a fazer em toda a América Central.
  • Apoiar os profissionais de saúde e o pessoal de farmácia a fornecer informações no ponto de atendimento, aconselhamento preciso sobre o risco da COVID-19, diagnóstico, tratamento e notificação de casos, como na África do Sul e em Angola, onde estamos a implementar o e-learning sobre a doença para os trabalhadores comunitários de saúde.
  • Apoiar os Ministérios da Saúde a estabelecer e a fortalecer os centros de operações de emergência existentes, que rastreiam doenças e os esforços de resposta a nível nacional e regional, como ocorre actualmente no Laos e em Mianmar.
  • Desenvolver a capacidade actual do nosso sistema de informação para apoiar a recolha de dados e relatórios do sector da saúde para ajudar na vigilância contínua de doenças e a preparar-nos melhor e aos parceiros para futuros surtos, com os muitos Ministérios da Saúde que apoiamos para usar o maior sistema digital do mundo de informações de gestão de saúde.”

Pode ler mais sobre a resposta da PSI aqui.

Doar à PSI

Possible 

tlycs_solution_quality-affordable-care-545x409-1

Aqui está uma actualização da Directora Executiva da Possible, Gita Pillai

Juntos, temos a oportunidade de reduzir o sofrimento e as mortes, especialmente em locais onde o surto está apenas no início. Em países como o Nepal, onde a Possible apoiou o acesso universal à saúde de comunidades especialmente vulneráveis, o apelo à intervenção é urgente e o momento para responder é agora.

A Possible está a colaborar com outras pessoas para preparar uma resposta oportuna. Estamos a trabalhar com urgência para garantir os bens e equipamentos necessários para manter um atendimento de qualidade aos pacientes, proteger o pessoal de infecções e testar e identificar casos. Estamos a partilhar recursos, informações sobre as melhores práticas clínicas e comunicação para controlar a disseminação.

A Possible está a trabalhar com a Nyaya Health Nepal para apoiar uma equipe dedicada de médicos, enfermeiros e profissionais de saúde nepaleses para responder ao surto de acordo com as orientações do Governo do Nepal e da Organização Mundial da Saúde. Estes planearam horários de trabalho clínico para manter serviços de qualidade e encaminhamento oportuno para todos os pacientes, estabeleceram salas de isolamento, protocolos de controlo de infecção reforçados e sistemas eletrónicos actualizados para recolher dados de vigilância da COVID-19.

A sua contribuição será uma parte valiosa da nossa resposta global.”

Pode ler o texto completo aqui.

Doar à Possible

Living Goods

lg-agent-1

Uma trabalhadora comunitária de saúde

Aqui está parte de uma actualização da Living Goods:

“Estamos a envolver-nos estreitamente com os ministérios e as suas equipas de preparação e resposta face a emergências, à medida que desenvolvemos a capacidade dos Trabalhador Comunitários de Saúde (TCS) e da nossa equipa se protegerem a si mesmos, às famílias e às comunidades contra os riscos da COVID-19. Já começamos a dar formação aos TCSs face à prevenção, à detecção e registo precoces e estamos a trabalhar para sensibilizar as comunidades e apoiar a criação de locais de lavagem de mãos. Além disso, estamos a trabalhar para desenvolver uma plataforma de e-learning que possa ser desenvolvida por TCSs, supervisores e pelas nossas equipas. Enquanto os governos do Quénia e do Uganda estão alinhados com o facto dos TCSs apoiarem os esforços de prevenção, estamos a trabalhar com estes para determinar os papéis apropriados que os TCSs devem desempenhar na detecção e resposta a doenças. Parece que os governos actualmente não prevêem o envolvimento dos TCSs no trabalho directo com pacientes infectados. Também estamos a tentar adquirir equipamentos de protecção individual e a desenvolver protocolos que protegem simultaneamente os TCSs, garantindo que estes não se tornem vectores de transmissão. É importante ressaltar que estamos a desenvolver “protocolos anti-toque” que pretendemos estender aos TCSs a curto prazo, com a esperança de que estes possam continuar a salvar vidas, avaliando e tratando casos de malária, diarreia e pneumonia; apoiar grávidas e recém-nascidos; e educar as famílias sobre os esforços de prevenção da COVID-19 e identificar possíveis casos. Já estamos a usar o nosso sistema de SMS para entrar em contato com os TCSs e as famílias que recebem apoio e, em breve, esperamos fazer isso nos dois sentidos. Com 10 000 TCSs na nossa rede, equipados com smart phones, acreditamos que podemos permitir a prestação de serviços básicos de saúde que minimizem os riscos de transmissão de doenças entre os TCSs e os membros da comunidade.”

Pode ler o restante da actualização sobre a COVID-19 da Living Goods aqui e apoiar o trabalho deles aqui:

Doar à Living Goods

Programa de suplementação de vitamina A da Helen Keller International

Campagne de prévention de la malaria au Burkina Faso menée par Malaria Consortium.

Helen Keller International

Uma actualização da Helen Keller International:

“A Helen Keller International trabalha há décadas para reduzir o impacto da doença nas crianças e nas comunidades vulneráveis. Este trabalho continua, adaptado aos desafios específicos colocados pela pandemia da COVID-19. Os nossos programas, da suplementação de vitamina A à prevenção da desnutrição e ao combate à cegueira evitável e perda de visão nas comunidades vulneráveis, podem salvar vidas no contexto de uma epidemia viral.

A Helen Keller apoiou governos e comunidades no tratamento de dezenas de milhões de crianças com vitamina A, após a descoberta de que a suplementação com vitamina A reduzia a mortalidade por todas as causas em mais de 20%. Isso é particularmente relevante na epidemia actual, porque a deficiência de vitamina A tem demonstrado prejudicar seriamente a imunidade contra a infecção viral, incluindo a pneumonia viral. A vitamina A melhora especificamente a capacidade da criança de neutralizar o vírus nas membranas do intestino e dos pulmões. Na pandemia da COVID-19, observamos enormes diferenças no quadro clínico, de poucos ou nenhum sintoma, até doenças graves e morte, tendo por base maioritariamente a imunidade pré-existente. No cenário cada vez mais provável de infecção em larga escala em áreas de África e Ásia com má nutrição, as cápsulas de vitamina A fornecidas pela Helen Keller nos últimos meses podem ser a diferença entre a vida e a morte para milhares e, potencialmente, milhões de crianças pequenas. É também por isso que estamos a trabalhar para continuar a distribuir vitamina A em locais onde ainda não ocorreu documentação em larga escala. (É importante observar que estamos a fazer isso, mantendo precauções importantes, incluindo distanciamento físico, contato reduzido com os pacientes e lavagem frequente das mãos com sabão.)

Além deste trabalho de prevenção de longa data, que provavelmente trará enormes benefícios para a actual crise, os escritórios da Helen Keller em todo o mundo empenharam-se em fornecer apoio imediato aos governos e comunidades que enfrentam a pandemia da COVID-19.”

Doar ao Programa de Suplementação de Vitamina A da Helen Keller International

Against Malaria Foundation (AMF)

2015_09_24_60percent15years-545x815-1

Against Malaria Foundation

A AMF relata que actualmente o efeito do coronavírus no seu trabalho é mínimo, mas estão a manter isso constantemente sob revisão e esperam que a situação mude à medida que as questões se desenvolvam em África. É provável que as distribuições das redes sejam uma parte importante da minimização do impacto do coronavírus, pois as taxas do aumento da malária provavelmente aumentarão a taxa de mortalidade por coronavírus. A AMF permanece concentrada na angariação de recursos para preencher lacunas significativas de financiamento.

 

Doar à AMF

GiveDirectly

recipient-w-sms-no-brands-545x363-1

GiveDirectly

Nm artigo recente no The Washington Post, Susan Athey e Dean Karlan forneceram a seguinte justificação para se doar à GiveDirectly, uma organização que faz transferências de dinheiro:

“E que tal uma instituição de caridade global que reduz o distanciamento económico sem aumentar o distanciamento social? A GiveDirectly possui um modelo único, bastante apropriado para este contexto. Enviam dinheiro via transferências móveis directamente (e rapidamente) para famílias de baixo rendimento. E têm comprovação científica, tendo realizado vários estudos controlados aleatórios com a Innovations for Poverty Action para confirmar que o dinheiro é bem usado. Como o coronavírus não pode ser transmitido por telefone, é uma instituição de caridade socialmente distante/economicamente próxima, perfeita para a ocasião.”

 

Doar à GiveDirectly

Fistula Foundation

for-how-ff-is-different-from-other-charities-section-545x362-1

Fistula Foundation

A 16 de Março, a Directora Executiva, Kate Grant, partilhou esta actualização:

“As nossas equipas na Zâmbia e no Quénia irão continuar a trabalhar enquanto for possível. O nosso objetivo é continuar a financiar os parceiros em África e na Ásia, que prestam cuidados de transformação à vida das mulheres, desde que as condições no terreno o permitam. Continuaremos a comunicar convosco, os nossos leais doadores, sobre como evolui a situação aqui e com os nossos parceiros.”

Pode ler a mensagem completa de Kate aqui.

Doar à Fistula Foundation

Village Enterprise

Uma actualização da Village Enterprise:

Esta pandemia está a afetar as actividades globalmente e o Village Enterprise não é excepção. Dado o impacto que a COVID-19 está a causar nas nossas operações diárias, os nossos programas e as metas planeadas irão mudar por enquanto. As nossas atividades estarão mais alinhadas e concentradas no objectivo de garantir que as pessoas permaneçam saudáveis.

Com isso em mente, reunímos uma visão geral da nossa resposta até ao momento, com a ressalva de que estamos a responder a uma situação em rápida evolução e a nossa resposta pode mudar à medida que surjam diferentes necessidades pontuais.

  1. Considerando a saúde e a segurança da nossa equipa e participantes do programa, juntamente com as recomendações e restrições impostas pelos governos do Quénia e Uganda, acabamos de decidir fazer uma pausa nas nossas operações de campo. Isso significou a suspensão de reuniões de grupos e contactos não essenciais nas nossas actividades do programa para impedir a disseminação da COVID-19. A nossa principal prioridade é garantir que nossa equipa permaneça empregada e saudável e, actualmente, estamos a trabalhar em planos de adaptação específicos da equipa e trabalho remoto, quando possível. Continuaremos a mantê-lo informado à medida que a situação se desenvolver.
  2. Estamos a trabalhar para actualizar os recursos tecnológicos que já priorizávamos organizacionalmente, a fim de fornecer suporte remoto aos proprietários e comunidades de negócios durante o período de encerramento. No entanto, essa iniciativa ainda está em fase de planeamento.
  3. Prevemos que o encerramento efectivo das economias no Uganda e no Quénia será extremamente difícil para as comunidades em que trabalhamos. Com isso em mente, estamos a trabalhar num plano de resposta adaptável aos efeitos de longo prazo da crise nas nossas comunidades.

Doar à Village Enterprise

Adicionaremos mais actualizações dessas e de outras instituições de caridade recomendadas assim que estiverem disponíveis. 


Publicado originalmente no site da The Life You Can Save, em 3 de Abril de 2020.

Tradução de Rosa Costa e de José Oliveira.

Assine o Boletim Mensal

 

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s