Os nossos critérios para as instituições de caridade principais

 — Por GiveWell (EA Forum)

GW, melhores ONG.fx

GiveWell, como encontrar as melhores instituições de caridade? (Arte digital: José Oliveira | Fotografias: Pixabay)

A GiveWell tenta ajudar os doadores a fazer o maior bem possível com cada dólar que estes doam. O nosso objectivo é encontrar excelentes oportunidades de doação e publicar os detalhes completos da nossa análise para ajudar os doadores a decidir para onde doar. Não pretendemos classificar todas as instituições de caridade, mas sim encontrar aquelas que consideramos que maximizam o impacto de doações adicionais em termos de vidas salvas ou melhoradas.

As principais instituições de caridade que recomendamos aos doadores são caracterizadas por:

  • Provas de eficácia. Procuramos instituições de caridade que implementem programas que tenham sido estudados rigorosa e, idealmente, repetidamente e cujos benefícios podemos razoavelmente esperar que se generalizem a grandes populações, embora existam limites ao carácter generalizável de quaisquer resultados de um estudo. O conjunto de programas que se enquadram nesta descrição é relativamente limitado e encontra-se, na sua maioria, na categoria de intervenções de saúde, embora existam também provas substanciais sobre transferências de dinheiro. Também examinamos dados específicos da instituição de caridade, a fim de determinar até que ponto podemos esperar que os resultados no mundo real de uma instituição de caridade individual correspondam aos resultados encontrados em estudos académicos de programas.
  • Relação custo-eficácia. Tentamos calcular números tais como o “custo total por vida salva” ou o “custo por benefício económico total para outros, normalizado pelo rendimento base” para cada uma das instituições de caridade que consideramos. Procuramos instituições de caridade que executem programas com bom desempenho em métricas como esta. As pessoas de baixos rendimentos no mundo em desenvolvimento têm níveis de vida drasticamente mais baixos do que as pessoas de baixos rendimentos nos EUA, e acreditamos que um determinado montante em dólares pode proporcionar benefícios mais significativos quando visamos os primeiros.
  • Espaço para mais financiamento. As nossas principais instituições de caridade recebem um número substancial de donativos como resultado da nossa recomendação. Perguntamos: “O que é que fundos adicionais — para além do que uma instituição de caridade poderia angariar sem a nossa recomendação — permitem, e qual é o valor dessas actividades?” No passado, suspendemos as recomendações de instituições de caridade fortes quando considerámos que não poderiam utilizar doações adicionais de forma rápida e eficaz.
  • Transparência. Examinamos estas instituições de caridade de forma minuciosa e céptica, e publicamos revisões detalhadas discutindo os seus pontos fortes, bem como as preocupações relacionadas com o seu trabalho ou espaço para mais financiamento. Também acompanhamos os progressos das principais instituições de caridade ao longo do tempo e informamos publicamente sobre os mesmos, incluindo quaisquer desenvolvimentos negativos. As instituições de caridade devem estar abertas ao nosso rigoroso processo de investigação — e discussão pública dos seus antecedentes e progressos, tanto os bons como os maus — a fim de ganharem o estatuto de “instituição de caridade principal”. Também acreditamos que qualquer boa decisão envolve intuição e juízos de valor, e o nosso objectivo é tornar público todo o nosso raciocínio para que outros a possam avaliar e criticar.

Para aqueles que acreditam que a intensidade do nosso processo cria efeitos de selecção problemáticos, em 2016, fornecemos uma lista de instituições de caridade centradas em programas apoiados por provas e potencialmente custo-eficazes, quer as tivéssemos investigado ou não. Esta lista não tem sido actualizada.

 

Porquê estes critérios?

Porque é que as provas são tão importantes?

Acreditamos que ajudar as pessoas de forma eficiente — a missão de muitas instituições de caridade — é desafiante e complexo. Acreditamos também que a maioria da informação disponível sobre o impacto das instituições de caridade é simplificada, exagerada ou incompleta. [1]

Acreditamos que as respostas às perguntas que se seguem estão entre as respostas necessárias para prever a quantidade de bem que uma doação irá fazer:

  • O que é que a doação irá permitir que aconteça que, de outro modo, não teria acontecido?
  • Será que esta actividade irá mudar a vida das pessoas para melhor, ou irá deparar-se com desafios inesperados?
  • Será que irá realizar uma grande quantidade de bem relativamente a outras opções?

Acreditamos que se pode fazer uma avaliação informada sobre estas questões, ao dedicar tempo para conhecer uma organização e a área em que esta opera. No entanto, procuramos servir os doadores que não têm tempo para o fazer, pelo que pretendemos recomendar instituições de caridade que sejam comprovadamente excelentes, e defender uma abordagem que se baseie relativamente pouco nos juízos de valor altamente discutíveis que podem ser melhor sustentados com uma forte compreensão da organização, bem como da área em que esta opera (embora seja inevitável algum grau de especulação e juízos de valor). Consequentemente, fazemos recomendações que podem ser fundamentadas numa forte base de provas e cujo impacto pode ser, até um certo ponto, facilmente verificável para um doador com pouca informação.

As nossas principais instituições de caridade não são as únicas boas instituições de caridade, e a sua defesa está longe de ser infalível, mas acreditamos que são a melhor aposta para um doador com pouca informação à procura de uma oportunidade comprovadamente forte de fazer o bem.

 

Porque é que nos centrarmos na pobreza global?

Quando a GiveWell começou, emitimos recomendações separadas para instituições de caridade centradas no mundo em desenvolvimento e instituições de caridade centradas nos EUA, onde a GiveWell está sediada. Ao longo do tempo, contudo, estreitámos o nosso âmbito. Acreditamos que as candidatas a principais instituições de caridade que encontrámos para o mundo em desenvolvimento tinham um conjunto de provas consideravelmente mais sólidas, custos por pessoa consideravelmente mais baixos e, em geral, uma defesa mais forte para a realização de uma enorme quantidade de bem por cada dólar (ver mais nesta publicação).

Acreditamos que a questão de fundo aqui é que a pobreza do mundo em desenvolvimento é muito mais grave do que a pobreza do mundo desenvolvido. As pessoas no mundo em desenvolvimento carecem frequentemente de coisas básicas e baratas que as podem ajudar muito. Por exemplo, podem sofrer de doenças infecciosas que poderiam ser tratadas ou prevenidas de forma relativamente simples, se o financiamento estivesse disponível. [2]

Ver mais: O seu dinheiro vai mais longe no exterior.

 

Porque é que nos centrarmos na ajuda directa, em vez de abordar as causas de raiz?

Acreditamos que tem havido muitos esforços para encontrar e abordar as causas de raiz da pobreza, e que estes não geraram conclusões fortes ou programas bem-sucedidos.[3] As abordagens baseadas nas causas de raiz são, a nosso ver, o tipo de empreendimentos especulativos e a longo prazo que melhor se adequam a doadores altamente empenhados (como discutido acima).

Também acreditamos que a ajuda directa, tal como a distribuição de redes mosquiteiras de prevenção da malária ou o fornecimento de comprimidos para tratar parasitas intestinais, pode capacitar as pessoas para que façam a diferença nas suas próprias comunidades. Estas pessoas podem estar melhor posicionadas do que nós para compreender e resolver vários problemas. Pensamos que é apropriado que os doadores se concentrem nos problemas em que são melhores a ajudar, reconhecendo que não são as únicas pessoas que estão a trabalhar para uma mudança positiva. (Ver mais)

 

Porquê recomendar tão poucas instituições de caridade?

As instituições de caridade que recomendamos trabalham no mundo em desenvolvimento e concentram-se nas intervenções para as quais existem fortes provas independentes da sua eficácia. São também instituições de caridade onde nos parece que é possível compreender completamente o impacto dos seus programas, a sua relação custo-eficácia, e a sua capacidade de pôr em prática doações adicionais. Esta é uma parte relativamente pequena do sector da caridade, e é por isso que as organizações que recomendamos são as melhores oportunidades de doação de que temos conhecimento.

Muitas organizações não conduzem o tipo de monitorização e avaliação que gostaríamos de ver para nos sentirmos confiantes ao recomendá-las aos doadores, têm espaço para mais financiamento que é difícil de avaliar, ou estão a implementar programas que estão fora das nossas áreas prioritárias, que acreditamos serem os programas com provas mais fortes de eficácia e relação custo-eficácia em termos de vidas salvas ou melhoradas por cada dólar. Teríamos todo o prazer em recomendar organizações adicionais que considerássemos representarem oportunidades iguais ou melhores em relação às nossas actuais instituições de caridade principais.

Além disso, o nosso processo de avaliação, exigente em termos de tempo, limita o número de instituições de caridade que achamos que seria benéfico recomendar. Compreender completamente até mesmo uma única instituição de caridade dá um enorme trabalho. Se tentássemos recomendar um grande número de instituições de caridade, não o poderíamos fazer com confiança. Ao concentrarmo-nos em algumas instituições de caridade excepcionais, somos capazes de fazer recomendações fortes e direccionar fundos substanciais para onde podem fazer uma enorme quantidade de bem. (Ver mais)

 

O nosso processo para identificar as principais instituições de caridade

Encontrar instituições de caridade elegíveis: Procurámos exaustivamente instituições de caridade que se concentrem nos nossos programas prioritários, tanto falando com pessoas e organizações que trabalhem na área, como através de pesquisa na Internet. Convidámos instituições de caridade promissoras a candidatarem-se a uma recomendação da GiveWell. Também somos frequentemente contactados por instituições de caridade que procuram candidatar-se a uma recomendação.

Examinar instituições de caridade: O nosso rigoroso processo de avaliação visa questionar profunda e criticamente os argumentos a favor do impacto da instituição de caridade, e expor publicamente aquilo que consideramos ser os pontos fortes e fracos. Mais detalhes sobre o nosso processo de avaliação.

Acompanhamento: Fazemos um acompanhamento exaustivo das nossas principais instituições de caridade ao longo do tempo, e consideramos este um dos principais argumentos a favor de apoiar tais instituições. Uma vez que a nossa recomendação encaminha doações substanciais para as instituições de caridade, as principais instituições de caridade geralmente estão dispostas a envolver-se substancialmente connosco e a ajudar-nos a aprofundar a nossa compreensão das suas actividades e progressos ao longo do tempo.

Essencialmente acreditamos que — e deixamos claro às nossas principais instituições de caridade que acreditamos — na partilha de desenvolvimentos positivos e negativos, e escrevemos extensivamente no passado sobre conflitos imprevistos que as principais instituições de caridade enfrentaram. Ver, por exemplo, a nossa série de actualizações sobre a VillageReach.

Para mais informações sobre o nosso processo e o raciocínio por detrás dele, veja a nossa página sobre o processo que descreve o nosso processo de análise e recomendação das principais instituições de caridade aos doadores.

 

Mais perguntas?

Fornecemos um grande número de formas de conhecer o nosso trabalho, incluindo um blogue, FAQ, e conferências telefónicas e eventos presenciais.

Tem perguntas sobre o nosso processo de escolha das principais instituições de caridade? Também será bem-vindo ao contactar-nos.

 

Notas:

  1. Para exemplos, ver Celebrated Charities We Don’t Recommend [As Instituições de Caridade Famosas que Não Recomendamos] e Donor Illusions [As Ilusões dos Doadores]. ↩︎
  2. Para exemplos, ver os nossos artigos sobre redes tratadas com insecticida e desparasitação. ↩︎
  3. Ver The root causes of poverty [As causas de raiz da pobreza]. ↩︎

Texto publicado pela GiveWell no EA Forum, a 2 de Janeiro de 2020

Tradução Rosa Costa e José Oliveira.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s