As nossas recomendações para doar em 2021

Por Ben Bateman (GiveWell)

GiveWell, para onde doar? (Arte digital: José Oliveira | Fotografias: Pixabay)

Podemos ter um impacto extraordinário ao apoiar instituições de caridade que sejam baseadas em provas e custo-eficazes.

Só de olhar para os aproximadamente 100 milhões de dólares[1] que a GiveWell pôde atribuir à sua descrição em 2020 — uma parte de todo o dinheiro que atribuímos às instituições de caridade que recomendamos — o impacto dos nossos doadores é impressionante. Estimamos que essas doações possam vir a:

  • Salvar mais de 24 000 vidas
  • Tratar mais de 6 milhões de crianças com um tratamento completo de medicamentos antimaláricos
  • Fornecer um suplemento de vitamina A a mais de 8,6 milhões de crianças
  • Fornecer mais de 4,4 milhões de redes mosquiteiras tratadas com insecticida de longa duração (RMILD) para protecção contra a malária
  • Vacinar 118 000 crianças
  • Tratar mais de 11,4 milhões de crianças face a vermes parasitas

Estamos gratos pelo seu apoio e interesse pelo nosso trabalho, e estamos entusiasmados por partilhar as nossas recomendações e actualizações sobre a nossa investigação mais recente. Esperamos que considere doar a algumas das instituições de caridade verdadeiramente excepcionais que recomendamos.

Sumário

Continuamos a recomendar as mesmas excelentes instituições de caridade

As nove instituições de caridade que recomendamos são de alto impacto, custo-eficazes e fundamentadas em provas e na nossa análise rigorosa. Este ano, a nossa lista das melhores instituições de caridade permanece inalterada.

Embora a nossa lista de recomendações seja a mesma, fizemos grandes progressos na nossa investigação identificando novas oportunidades de doação dentro das nossas melhores instituições de caridade. Esperamos direccionar cerca de 300 milhões de dólares para as nossas melhores instituições de caridade em 2021, em comparação com cerca de 180 milhões de dólares em 2020. Mais detalhes sobre isso abaixo.

Também fizemos grandes progressos na identificação de novas oportunidades que são tão custo-eficazes como as melhores instituições de caridade actuais, e esperamos conceder cerca de 130 milhões de dólares a novas intervenções este ano. Esperamos continuar esse trabalho em 2022.

A nossa melhor recomendação: Fundo de Máximo Impacto da GiveWell

O nosso Fundo de Máximo Impacto continua a ser a nossa principal recomendação para doadores que queiram fazer o maior bem possível com a sua doação. Como sempre, não cobramos taxas, e atribuímos o nosso Fundo de Máximo Impacto trimestralmente às oportunidades em que acreditamos que doações adicionais venham a ajudar mais.

O custo-eficácia varia muito entre as nossas melhores instituições de caridade. Mesmo dentro das instituições de caridade, pode haver grandes variações de custo-eficácia entre oportunidades de financiamento específicas, devido a factores como a prevalência das doenças. [2] Utilizamos a nossa investigação mais recente para atribuir fundos às necessidades prioritárias mais prementes entre as nossas melhores instituições de caridade. Pode ver aqui uma lista de doações anteriores do Fundo de Máximo Impacto.

Caso queira doar de acordo com a investigação da GiveWell, o nosso Fundo de Máximo Impacto é onde esperamos que a sua doação seja mais útil.

Caso prefira seleccionar uma instituição de caridade individual, as nossas melhores instituições de caridade de 2021 são as seguintes (por ordem alfabética):

  • Against Malaria Foundation (AMF)
  • Deworm the World Initiative da Evidence Action
  • GiveDirectly
  • Programa de suplementação com vitamina A da Helen Keller International
  • Programa de quimioprevenção sazonal da malária (SMC) do Malaria Consortium
  • New Incentives
  • SCI Foundation
  • Programa de desparasitação dos Sightsavers 
  • O programa de desparasitação do The END Fund 

Este ano, esperamos satisfazer todas as necessidades de financiamento das nossas melhores instituições de caridade que estejam à altura das nossas atribuições de fundos por custo-eficácia — isto exclui a GiveDirectly — e temos fundos adicionais restantes para transferir para 2022. [3] Para mais informação sobre as razões de transferirmos fundos e como isso afectará o impacto das suas doações ao Fundo de Máximo Impacto ou às nossas melhores instituições de caridade, por favor veja o post  no nosso blog intitulado “O nosso objectivo é atribuir com custo-eficácia cerca de mil milhões [Br. 1 bilhão] de dólares anualmente até 2025”.

O papel evolutivo da GiveWell

A falta de mudanças na nossa lista das melhores instituições de caridade este ano deve-se em parte a mudanças na forma como a GiveWell está a evoluir enquanto organização. Historicamente, a GiveWell tem atribuído fundos a instituições de caridade de duas maneiras:

  • A GiveWell como conselheira. Os doadores escolhem a partir da nossa lista das melhores instituições de caridade e doam a quem quiserem. As nossas melhores instituições de caridade cumprem os critérios tradicionais da GiveWell; são organizações que (a) implementam um programa que é fundamentado em provas significativas, (b) são custo-eficazes (no sentido em que o seu programa realiza um enorme bem por cada dólar doado), (c) podem utilizar eficazmente fundos adicionais, e (d) são transparentes connosco para que nós possamos ser transparentes com o público.
  • A GiveWell como atribuidora de fundos. Atribuímos fundos a oportunidades específicas, seja do nosso Fundo de Máximo Impacto (se forem atribuições às melhores instituições de caridade) ou recomendamos atribuições a doadores específicos, como a Open Philanthropy. Recomendamos atribuições específicas com base no custo-eficácia, com o objectivo de maximizar o impacto total das atribuições que fazemos. Direccionamos a maioria das atribuições de fundos para as nossas melhores instituições de caridade[4], mas também atribuímos alguns fundos a organizações que não são as melhores instituições de caridade.

Ao longo da maior parte da história da GiveWell, concentramo-nos no nosso papel como conselheira. Mas desde 2015, temos feito muito mais atribuições através do papel de atribuidora de fundos. Isso deve-se tanto ao aumento das doações ao nosso Fundo de Máximo Impacto como ao aumento do financiamento de terceiros, como a Open Philanthropy.

Temos grandes questões em aberto sobre como devemos enquadrar as instituições de caridade que recomendamos e aquelas a que atribuímos fundos. No futuro, não temos a certeza de como “as melhores instituições de caridade” devem ser definidas em relação ao nosso trabalho de fazer e recomendar doações, e estamos hesitantes quanto a adicionar novas melhores instituições de caridade enquanto estamos no processo de resolver isso.

Esperamos angariar mais de 500 milhões de dólares em 2021, em grande parte em fundos adicionais para atribuir. Dada a quantidade de espaço para mais fundos que queríamos encontrar para corresponder ao nosso crescimento em doações, decidimos concentrar-nos em fazer doações este ano, em vez de abordar essas questões.

Achamos que não comunicamos claramente estes diferentes papéis e reconhecemos que esta distinção pode ser confusa. Num futuro próximo, planeamos melhorar a forma como comunicamos as nossas recomendações aos doadores para evitar que a confusão continue. Iremos partilhar mais actualizações em 2022.

Eis como as nossas equipas de investigação aumentaram o nosso espaço para mais financiamento

A nossa investigação é feita em grande parte por duas equipas:

  • A nossa equipa das melhores instituições de caridade, que se concentra na avaliação contínua das nossas melhores instituições de caridade, bem como em projectos para aumentar o montante de financiamento que essas organizações podem usar de forma custo-eficaz.
  • A nossa equipa de novas intervenções, que se concentra na identificação de novos programas para a GiveWell financiar.

Também fazemos alguma investigação de alta alavancagem, com o objectivo de atribuir fundos a programas que tenham efeitos mais difíceis de medir do que as nossas melhores instituições de caridade. Partilhamos abaixo algumas das principais realizações dessas equipas (veja aqui, aqui e aqui) para destacar o seu trabalho.

A nossa principal realização deste ano foi identificar uma quantidade significativamente maior de espaço para mais financiamento custo-eficaz do que anteriormente. Esperamos aumentar o nosso espaço total para mais financiamento de 200 milhões de dólares em 2020 para 450 milhões de dólares em 2021 [5]. Esse crescimento vem de todas as nossas diferentes equipas:

A seguir, iremos partilhar mais detalhes sobre como conseguimos aumentar o nosso espaço para mais financiamento tão rapidamente.

A nossa equipa das melhores instituições de caridade identificou muito mais oportunidades de financiamento custo-eficaz para 2021.

Em 2021, já recomendamos 51 milhões de dólares em fundos para manter os programas existentes geridos pelas nossas melhores instituições de caridade.

Mas também estamos a trabalhar para identificar novas oportunidades de financiamento dentro das nossas melhores instituições de caridade. Já recomendamos 73 milhões de dólares em fundos às melhores instituições de caridade em 2021 para permitir que estas expandam os seus programas para novos locais ou que preencham as lacunas deixadas quando outros financiadores retirarem o seu apoio.

Estas novas oportunidades de financiamento têm incluído:

  • distribuição de redes para prevenir a malária na Nigéria
  • distribuição de medicamentos para a prevenção da malária em dois novos estados da Nigéria
  • fornecimento de suplementos para prevenir a deficiência de vitamina A nos Camarões
  • fornecer tratamentos para infecções parasitárias de vermes (desparasitação) no Chade
  • fornecimento de incentivos em dinheiro para vacinas de rotina a crianças em áreas adicionais da Nigéria

Publicámos uma página sobre a primeira oportunidade nesta lista, um fundo atribuído ao Malaria Consortium para distribuição de redes (RMILD) nos estados de Ondo e Anambra na Nigéria e, nos próximos meses, planeamos publicar mais sobre os outros fundos atribuídos. Estamos a considerar recomendar cerca de 170 milhões de dólares em fundos adicionais para programas geridos pelas nossas melhores instituições de caridade.

Juntamente com programas de financiamento directo, também estamos a financiar investigação para testar e medir o impacto dessas intervenções em locais adicionais.

Um exemplo é o nosso trabalho com o Malaria Consortium sobre o impacto da SMC (distribuição de medicamentos para prevenir a malária) em Moçambique e no Uganda. Os parasitas transmissores da malária nestas regiões apresentam um nível mais elevado de resistência aos medicamentos do que na região do Sahel, onde este programa normalmente tem sido levado a cabo. [6] Uma questão-chave é se os níveis mais elevados de resistência aos medicamentos nestas regiões farão com que o programa seja menos eficaz.

Com financiamento de doadores da GiveWell, o Malaria Consortium está a realizar projectos-piloto nos dois países e a recolher dados sobre a resistência aos medicamentos. Em Moçambique, o Malaria Consortium também está a realizar um estudo aleatório controlado do impacto do SMC nos casos de malária. [7] Esperamos resultados em 2022.

A nossa equipa de novas intervenções identificou uma série de novas áreas de programas promissoras para se apoiar.

Como resultado da investigação deste ano, esperamos que cerca de 130 milhões de dólares sejam doados a oportunidades de doação custo-eficazes, incluindo as seguintes:

Tratamento de desnutrição: Atribuímos quase 30 milhões de dólares (conjuntamente) a duas organizações, a Alliance for International Medical Action [Aliança para a Acção Médica Internacional] e o International Rescue Committee [Comité Internacional de Salvamento], para programas que fornecem tratamento a crianças com desnutrição grave. Com base na nossa avaliação até ao momento, o tratamento de desnutrição é uma área do programa altamente promissora que pode ter grandes lacunas de financiamento custo-eficaz. [8] Esperamos atribuir mais fundos a programas de tratamento de desnutrição num futuro próximo.

Transferências de dinheiro condicional por telemóvel [Br. celular] para incentivar imunizações: atribuímos um financiamento que vai até 25 milhões de dólares à IRD Global para apoiar um programa de transferência condicional de dinheiro por telemóvel [Br. celular] para incentivar imunizações no Paquistão.[9] Além do seu alto custo-eficácia estimado, estamos entusiasmados com esta atribuição de fundos porque acreditamos que a tecnologia que permite o programa da IRD tem o potencial de ser alavancada para outras intervenções e pode abrir oportunidades de financiamento adicional no futuro.

Tratamento preventivo intermitente da malária em bebés (TPIb): Ficámos interessados em apoiar o TPIb, ou o fornecimento de medicamentos antimaláricos a bebés como parte dos serviços de imunização de rotina, com base na comprovação académica da sua eficácia. [10] No entanto, não existem ONG que apoiem os governos para implementar o TPIb em maior escala. [11] Em vez de despriorizar o programa devido à falta de oportunidades de financiamento, desenvolvemos um plano para criar programas neste espaço.

Enviamos um pedido de informação a 18 organizações com experiência comprovada no lançamento e expansão de programas relacionados com a malária ou imunização em África, a fim de identificar organizações que parecem adequadas para conceber e implementar um programa TPIb à escala nacional.

Por fim, atribuímos um financiamento de 120 000 dólares a duas organizações, PATH e Malaria Consortium, para realizarem um estudo sobre a viabilidade e o custo-eficácia da integração do TPIb nos sistemas de saúde de rotina na República Democrática do Congo e na Nigéria. Dependendo dos resultados deste estudo, podemos recomendar financiamento adicional para implementar o programa à escala nacional nestes países.

Estamos a planear publicar mais informações sobre todos os itens acima nos próximos meses.

Finalizamos três áreas de foco inicial para trabalho de alta alavancagem dentro da regulamentação da saúde pública e investigamos financiamento em cada uma dessas áreas.

Em 2021:

  • Publicámos um resumo das razões pelas quais decidimos concentrar-nos nas políticas face ao álcool, à exposição ao chumbo e ao suicídio por pesticidas no âmbito da regulamentação da saúde pública.
  • Este ano, esperamos atribuir fundos de 15 a 30 milhões de dólares nessas áreas. Até agora, conseguimos 15 milhões de dólares em doações para a Pure Earth (8 milhões de dólares, exposição ao chumbo) e para o Centre for Pesticide Suicide Prevention [Centro de Prevenção de Suicídios por Pesticidas] (7,2 milhões de dólares, suicídio por pesticidas).

Uma outra actualização do nosso trabalho de alta alavancagem está relacionada com o nosso trabalho face à COVID-19 no ano passado. Em Março de 2020, anunciámos planos considerando a atribuição de fundos para reduzir o impacto da pandemia da COVID-19. Esperávamos que a pandemia fosse grave em países de baixos e médios rendimentos, onde concentramos o nosso trabalho. Os resultados preliminares da Innovations for Poverty Action sobre o uso de máscaras (que financiamos em 2020) foram divulgados. O estudo recebeu cobertura positiva da imprensa, a intervenção está a ser realizada à escala por todo o Sul da Ásia, e está a ser planeado um estudo complementar.

Esperamos que o trabalho de alta alavancagem continue a ser uma pequena parte do trabalho da GiveWell em 2021, à medida que nos concentramos mais nas oportunidades que podem absorver mais financiamento no total.

Actualizações às nossas estimativas de impacto

Este ano, também concluímos um projecto para actualizar as nossas estimativas de impacto — os números que partilhamos para os resultados e as realizações das instituições de caridade que recomendamos. Isto inclui, por exemplo, o custo para salvar uma vida através de um programa específico.

Pode consultar as nossas estimativas actualizadas e ficar a conhecer a nossa abordagem geral para criar estimativas de impacto para as instituições de caridade e oportunidades de financiamento que recomendamos na nossa nova página sobre como produzimos estimativas de impacto.

Como resultado destas mudanças, também já não partilhamos a nossa calculadora de impacto. Uma vez que as nossas novas estimativas são voltadas para o passado, não são compatíveis com uma ferramenta voltada para o futuro.

Atribuir financiamento sem restrições

O Fundo de Máximo Impacto é a melhor opção para doadores que queiram que as suas doações sejam atribuídas às oportunidades mais custo-eficazes que encontramos entre as nossas melhores instituições de caridade. No entanto, para doadores que estejam especialmente alinhados com a GiveWell, esperamos que também considere apoiar o nosso trabalho com financiamento sem restrições.

O financiamento sem restrições pode ser usado como a GiveWell julgar melhor, inclusive para o apoio das nossas próprias operações. A GiveWell é uma organização sem fins lucrativos, e contamos com doações para as nossas operações.

Quando o fizer, estará a contribuir para a investigação que conduzimos e partilhamos com o público — como todas as análises que foram incluídas neste post. Recomendamos o seguinte:

  • Se nunca doou antes para as operações da GiveWell, considere adicionar 10% à sua doação para apoio ao nosso trabalho.
  • Se já apoiou as nossas operações no passado, esperamos que renove o seu apoio.

Caso esteja preocupado com a possibilidade de obtermos demasiado financiamento, saiba que a nossa política de “excesso de activos” nos impede de ter mais financiamento do que esperamos precisar para o nosso próprio trabalho nos próximos anos. Isso requer que atribuamos às nossas instituições de caridade recomendadas qualquer financiamento de operações que tenhamos acima de um certo limite, o que pode incluir tanto as melhores instituições de caridade como outras organizações.

Também limitamos a 20% da proporção do nosso orçamento operacional o contributo que qualquer indivíduo ou organização pode fazer. [12] Isto ajuda-nos a evitar depender demasiado de uma única fonte de apoio.

Eis como doar de forma eficiente

Além das nossas recomendações para onde doar, também temos conselhos para doadores que queiram saber como doar para maximizar a eficiência das suas doações. Veja as nossas recomendações sobre:

Formas de obter mais informação

Informações adicionais têm ligações abaixo:

  • A nossa última análise de custo-eficácia das nossas melhores instituições de caridade está aqui. Por favor, note que embora dediquemos recursos significativos para fazer essas estimativas, e embora estas sejam uma parte importante do nosso trabalho, temos uma incerteza significativa sobre os números finais. Pode ler mais sobre isso aqui.
    Embora o nosso objectivo seja maximizar o bem alcançado por cada dólar doado, estas estimativas são apenas um factor que consideramos quando decidimos como priorizar entre as nossas melhores instituições de caridade. Consideramos também os pontos qualitativos fortes e fracos das instituições de caridade, a urgência das suas necessidades de financiamento e outros factores. Avaliações qualitativas das nossas melhores instituições de caridade estão disponíveis aqui.
  • As nossas revisões actualizadas das nossas melhores instituições de caridade têm ligações a partir desta página.
  • Pode contactar-nos em info@givewell.org ou nos comentários [no post original], se tiver alguma dúvida sobre as nossas recomendações.

Obrigado por fazer parte da nossa comunidade. Esperamos que se junte a nós para financiar estas excelentes organizações!

Notas de rodapé

[1] Isto inclui dinheiro que concedemos do nosso Fundo de Máximo Impacto, bem como financiamento que recomendamos à Open Philanthropy. As quantias em dólares e as estimativas de impacto citadas neste post são extraídas em grande parte de dados internos não publicados. Para mais informações sobre o dinheiro que atribuímos em 2020, veja o nosso relatório de métricas de 2020.

[2] Por exemplo, na nossa página que explica a nossa alocação do 1.º trimestre de 2021 do Fundo de Máximo Impacto, descrevemos porque escolhemos alocar fundos para o trabalho de suplementação de vitamina A da Helen Keller International nos Camarões e na Nigéria, mas não no Quénia.

[3] Não esperamos atribuir fundos à GiveDirectly este ano para além dos nossos típicos fundos de incentivo de 500 000 dólares (ver esta secção da nossa página sobre fundos recomendados à Open Philanthropy em Novembro de 2020). Embora a GiveDirectly seja uma excelente instituição de caridade, é a menos custo-eficaz das organizações que recomendamos. Preferimos manter os fundos de doação até 2022 para gastá-los em oportunidades de financiamento mais custo-eficazes. Para mais informação, leia “Porque é que não se limitam a atribuir o dinheiro extra à GiveDirectly?”.

[4] Veja aqui uma lista de todos os fundos que atribuímos ou recomendamos desde 2014, incluindo os que foram atribuídos às melhores instituições de caridade.

[5] Parte do espaço adicional para mais financiamento que encontramos em 2021 pode estar abaixo da barra de custo-eficácia que utilizamos em 2020. Para mais informações, leia “O nosso objectivo é atribuir cerca de mil milhões [Br. 1 bilhão] de dólares por ano até 2025”.

[6] Veja os “Possíveis desenvolvimentos de resistência aos medicamentos” em “Possíveis impactos negativos/compensatórios” no nosso relatório de intervenção sobre a SMC.

[7] Veja o relatório de quimioprevenção sazonal da malária 2020 do Malaria Consortium, pp. 25-28 e pp. 43-46, para descrições destes projectos em Moçambique e no Uganda.

[8] Veja as secções de custo-eficácia e espaço para mais financiamento do nosso relatório de intervenção sobre o protocolo combinado de base comunitária da desnutrição aguda.

[9] O montante final dos fundos dependerá do montante total necessário para os incentivos, o que é incerto neste momento.

[10] Uma meta-análise recente de 12 estudos aleatórios controlados detectou um enorme efeito:

  • “Embora o tamanho do efeito tenha variado ao longo do tempo e entre medicamentos, em geral o TPIb tem impacto na incidência da malária clínica em geral, com uma redução de 30% (taxa de 0,70, 0,62 a 0,80; 10 estudos, 10 602 participantes)”. Esu, Oringanje e Meremikwu 2021, “Principais resultados”.

[11] Veja “Será que o programa parece ter espaço para mais financiamento?” no nosso relatório de intervenção sobre o TPIb.

[12] Veja “Como é que a GiveWell se financia a si mesma?” na nossa página de perguntas frequentes.

[13] “Para aqueles que detalham as suas deduções:

Os doadores que especificam as suas deduções podem agora doar mais dinheiro à caridade antes de alcançar a sua limitação face ao rendimento bruto ajustado (RBA). Anteriormente fixada em 60%, a limitação para contribuições em dinheiro a certas instituições de caridade públicas foi agora aumentada para 100% do RBA de um indivíduo, tanto para 2020 como para 2021. Qualquer doação além desta limitação de 100% pode ser transportada e utilizada nos próximos cinco anos.
Esta disposição exclui doações a fundações privadas não operantes e a organizações de apoio, juntamente com quaisquer contribuições feitas para estabelecer ou manter fundos aconselhados por doadores (FAD), como os mantidos na Vanguard Charitable.
Isto significa que os doadores da Vanguard Charitable que esgotam o limite de 60% com contribuições em dinheiro aos seus FAD em 2020 ou 2021 poderiam fazer quaisquer doações adicionais fora do seu FAD e ter essas doações qualificadas para uma dedução (até atingir o limite de 100%). Por favor contacte um consultor fiscal para discutir as suas circunstâncias específicas.
Para aqueles que não especificam as suas deduções: O pacote de estímulo estende até 2021 o subsídio da Lei CARES para até 300 dólares das contribuições à caridade de um contribuinte para se qualificar como uma dedução acima do limite. Aumenta a quantia para 600 dólares para casais casados que apresentem declarações conjuntas. Isto significa que não é necessário discriminar as deduções para solicitar os 300 dólares (ou 600 dólares) como dedução. As doações qualificadas devem ser feitas em dinheiro ou equivalente em dinheiro (ao contrário de acções, por exemplo) e não podem ser atribuídas a organizações de apoio ou FAD”. Vanguard Charitable, ACTUALIZAÇÃO: as provisões do CARES Act prolongadas até 2021, 29 de Dezembro de 2020


Publicado originalmente por Ben Bateman no blog da GiveWell, em 22 de Novembro de 2021 (actualizado em: 22 de Novembro de 2021).

Tradução de Rosa Costa e José Oliveira.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s